Pesquisar neste blogue

domingo, 30 de outubro de 2011

192 - Ágora - JOGOS DA ÀFRICA CENTRAL, UM MODO DE TER ESTADO!







“Dentro de momentos, num acto pleno de significado, o Presidente da Republica Popular de Angola, declarará solenemente abertos os IIºs Jogos da África Central, manifestação que representa o vértice da actividade da Zona de Desenvolvimento Desportivo nº4 do Conselho Superior dos Desportos de África. A realização destes jogos em Angola não acontece por acaso, nem é fachada vistosa que utilizamos para esconder as debilidades dum desporto sem princípios, sem organização e sem praticantes. E nem persegue sequer outros objectivos do que aqueles e bem generosos eles são que norteiam as relações desportivas internacionais, particularmente entre os Países do nosso continente”Há trinta anos, 20 de Agosto de 1981, Ruy Alberto Vieira Dias Mingas, ao tempo Secretário de Estado de Educação Física e Desportos, e Presidente em exercício da Zona 4 do Conselho Superior dos Desportos de África, com estas palavras inicia o discurso de abertura da maior manifestação desportiva que há memória no País.A realização dos 2ºs Jogos da África Central surge em Angola cinco anos depois dos primeiros em 1976 em Liberville, onde a então R. P. Angola participou como convidada.Angola candidata-se em 1979, já com a equipa liderada por Ruy Mingas na ex-SEEFD a organizar em Angola os Jogos da África Central e simultaneamente a RPA fica com a sede da 4ª Zona de Desenvolvimento desportivo em África. Era secretário geral, o saudoso Fernando Matos Fernandes acolitado por um “espalhafatoso” André Milton Kilandamoko, controversa figura que em 1992 concorreu à Presidência da Republica de Angola e instado a responder pelo desvio de umas dezenas de milhares de dólares no Secretariado da Zona 4, respondeu com o seu proverbial à vontade: “ Os angolanos nunca conseguiram crescer e passar daqui, quando numa hora importante como esta se preocupam com miudezas”.Logo que se teve conhecimento que seria Angola a organizar os jogos, mobilizaram-se vontades, motivaram-se pessoas e entusiasmaram-se os agentes desportivos e políticos de uma Republica Popular de Angola imberbe em termos de organização, mas excessivamente voluntariosa no querer participar em prol de conquistas políticas então alcançadas.Simultaneamente começaram a fazer-se os planos mais hiperbolizantes para os jogos, algo recorrente nas organizações de eventos desportivos recentes em Angola. Luanda, Benguela, Lubango e Huambo seriam os locais onde se iriam realizar os jogos, numa primeira triagem depois de se ter conseguido convencer os delegados provinciais de outras províncias que não haveria lá jogos, mas talvez jogos de preparação ou estágios de selecções pudessem por lá acontecer. As promessas inerentes às circunstancias!As propostas de reabilitação de complexos desportivos, de infra-estruturas aeroportuárias, hoteleiras e urbanas eram de uma dimensão de tal forma empolada que para ser tudo levado a bom termo exigia-se que tudo tivesse começado no mínimo dois anos antes.Piscinas novas ou reequipadas, campos de futebol relvados, pavilhões, centros de estágio, hotéis, edifícios públicos, tudo seria objecto de requalificação ou construção de raiz. Com a aproximação da data dos jogos, muitas das propostas foram caindo e aí o Ruy Mingas e os seus próximos passaram a decidir com o argumento dos factos e do calendário, embora o seu dinamismo e a sua capacidade de mobilização e entusiasmo nos motivassem a todos, obrigando-nos a superar problemas que em determinadas circunstâncias pareciam-nos irresolúveis.Algo que muita gente não sabe é que os jogos estavam para se realizar de 20 de Julho a 3 de Agosto de 1981, e o Ruy Mingas num dos últimos dias de Janeiro reúne-nos, depois de uma reunião do conselho de ministros e comunica-nos a decisão de adiar o início dos jogos um mês. Saíram da reunião vários grupos que visitaram todos os Países envolvidos e que entregariam a carta aos titulares dos cargos reitores do desporto com os argumentos ponderáveis para a alteração do evento, que não levantou o menor obstáculo por parte de ninguém. Não se deslocou ninguém ao Tchad, que ao tempo vivia uma guerra civil entre as forças partidárias de Hissène Habré e do presidente Goukouni Oueddei.A realidade é que apesar do ciclópico trabalho e à medida que o dia se aproximava sentia-se que os jogos iriam ser um êxito, como realmente foram mesmo, por muito que se tente omitir esse facto.A determinada altura descartou-se o Lubango e Benguela como locais dos jogos, perante o desalento do dinâmico delegado desta província, Victor Geovetti Barros.Restou Luanda, onde em oito dias teve que se mudar o terceiro tartan da Cidadela, e o Huambo, que apresentava problemas de segurança complicados, como se observou no decorrer de estágios de preparação de diferentes selecções de Angola, como basquetebol (masculino e feminino), futebol e boxe, a maioria das quais alojadas no antigo Hotel Mondego, transformado em Casa do Desportista, junto ao Bairro de S. João. Alojar, arranjar a logística apropriada, apoio médico, transporte de mil e trezentas pessoas entre atletas, árbitros, dirigentes, etc. foi uma tarefa particularmente complicada num País que ao tempo vivia dificuldades enormes.Mobilizar voluntários para quadros humanos, apoio a delegações, tradutores, Intérpretes, comissários de provas, secretariado, em suma um conjunto de gente que garantisse o normal funcionamento dos jogos e simultaneamente conseguisse manter níveis de organização aceitáveis para a realização do evento pôs à prova a capacidade de organização do País.Ruy Mingas seria naturalmente o principal responsável por um eventual fracasso dos Jogos, na realidade como correram bem houve a normal partilha dos louros. A forma brilhante como geriu esses tempos nunca poderá ser obliterada, muitas vezes tendo que vir a terreiro apagar fogueiras que as circunstancialmente se ateavam aqui e ali, conseguindo unir as pessoas pelo afecto, pela confiança, pela identidade de pontos de vista e pela bonomia que colocava em todo o seu relacionamento connosco.A sua equipa, onde com muita honra participei não pode ser esquecida nesta singela passagem destes trinta anos da realização dos 2ºs jogos da África Central. Sardinha de Castro, Helder Moura, Paulo Murias, José Martins, José Cohen, Franklim Dias, Espírito Santo, Raquel Grácio, os já desaparecidos Juca Figueiredo, Sande Lemos e Matos Fernandes, entre alguns outros que o tempo faz desmemoriar.Quando o falecido Evaristo Domingos Kimba, na qualidade de comissário provincial de Luanda faz o seu discurso de boas vindas aos visitantes passa a contribuir com um novo léxico: “ Atletas e atletistas, bem vindos a Luanda”!A Cidadela nesse dia 20 de Agosto de 1981 engalanou-se a preceito para receber os atletas do Burundi, Rwanda, S. Tomé e Principe, Gabão, a então Republica do Zaire, Republica Popular do Congo, Tchad, e Camarões. A Republica Centro-Africana não compareceu por razões políticas e económicas, e a Guiné Equatorial não deu qualquer justificação para a ausência.Como não se conseguiu acabar o estádio fizeram-se intervenções interessantes que acabaram por não ser perceptíveis para os que encheram o Estádio nesse dia pouco soalheiro de Agosto.O presidente José Eduardo dos Santos declarou abertos os jogos depois dos discursos de Ruy Mingas, Evaristo Kimba e da atleta Filomena Maurício ter ateado a tocha na pira situada num dos extremos do estádio. Convém recordar que o ministro centro-africano dos desportos Georges Petro—Koni-Zeze, presente na abertura dos jogos já estava demitido das suas funções por causa de um golpe de estado que decorria em simultâneo.A cerimónia de abertura e encerramento dos jogos foram inesquecíveis pelo colorido emprestado pelas delegações, a garridice dos quadros humanos e a coreografia perfeitíssima de todos os executantes, mobilizados nas escolas de Luanda, e que tão boa conta deram de si.Durante treze dias Luanda transfigurou-se com o bulício dos jogos, não só pelas actividades desportivas que “calcorrearam” as ruas da cidade, nomeadamente em modalidades como o ciclismo e o atletismo, na sua disciplina de maratona, como também no movimento de atletas entre locais de alojamento, jogos e treinos.Desportivamente Angola ganhou apenas sete medalhas de ouro, muito longe dos Camarões que ganharam 28, o Congo com 9 e o Gabão com 8, mas a realidade é que fomos vencedores porque conseguimos organizar uns jogos de grande competitividade e com o elevado espírito organizativo que muito nos orgulha.Angola foi muito grande, e convém recordar que em boxe foi medalha de ouro José Paulo Mohongo (48kg), Eduardo Candido (71 Kg), em Judo João Merino (71kg) e no atletismo o bis de Bernardo Manuel (5000 e 10.000m), António Reais no Martelo e José Ernesto na Maratona. Um dos momentos de grande simbolismo retratado pelo Carlos Pinhão nas páginas da “Bola”, terá sido quando o antigo recordista “português” do salto em altura Ruy Mingas coloca a medalha de prata no peito do então recordista angolano Orlando Bonifácio. Bonitos e assertivos os textos do saudoso Carlos Pinhão na “Bola”!Atletismo, Futebol, Andebol, Boxe, Ciclismo, Voleibol, Judo e Basquetebol foram as modalidades dos Jogos, com participação entusiasmada de atletas e com forte presença de público, que não queria perder pitada dos eventos desportivos e da componente cultural associada, que trouxe muitos artistas africanos de renome a Luanda.Se tinha que se fazer um esforço enorme para arranjar locais para disputa dos jogos, as dificuldades eram acrescidas para os treinos das equipas. Acrescente-se a tudo isto a disparidade horária das refeições, os transportes das equipas na cidade e o alojamento disperso por vários locais, para além de se salvaguardarem as condições dos árbitros, técnicos, médicos, dirigentes federativos e governamentais, dirigentes de confederações internacionais de diferentes modalidades, jornalistas e gente da imprensa. Admita-se que tudo conseguiu correr quase na perfeição, o que era completamente impossível de prever quinze dias antes, em que a placa do aeroporto 4 de Fevereiro parecia um acampamento com o descarregar de material diverso, alimentação, atoalhados, equipamento desportivo, tudo o que se achava que seria importante para que os 2ºs Jogos da África Central corressem bem.O que acabou por ensombrar os jogos, nada teve a ver com a sua organização. A 23 de Agosto de 1981 a Republica Popular de Angola é invadida pelas tropas da África do Sul na sua fronteira com a Namíbia, ocupando 250km para o interior do País. Foi a ofensiva que acaba por marcar de forma indelével o princípio do fim do apartheid, pois a partir desse dia a comunidade internacional endureceu de forma significativa a sua posição contra o regime racista sul-africano.Desapetece-me fazer extrapolações que ultrapassem a razoabilidade, mas se há algo que não bate a “bota com a perdigota”, como dizem os portugueses, são as razões que levam um regime a endurecer a sua posição militar num momento em que a visibilidade sobre Angola era grande, pelo facto de se estarem a disputar jogos com muitos Países africanos, com muitos atletas prestigiados e com a presença de muito profissional da informação. Há muita coisa que se despercebe na política internacional, mas na realidade esta ofensiva militar neste momento parecia ilógica! Comentou-se que Angola saberia previamente dessa situação e marcou os jogos para essa altura, para recolher benefícios no campo da diplomacia. Foi um dos múltiplos cenários que se colocaram, e o que acabou por suceder foi que no domínio da visibilidade informativa interna e externa as atenções viraram-se naturalmente para esta afronta à soberania da então Republica Popular de Angola.No discurso de encerramento dos jogos, Ruy Mingas: “No panorama desportivo Africano de hoje não pode passar em claro, nem deixar de ter um significado bem forte, o facto de 9 países da África Central se terem reunido numa vasta competição multidisciplinar, onde se aliaram a dimensão notável da própria realização, um nível desportivo de relevo em todas as modalidades, um clima de festa permanente que tornou mais transparentes os laços entre desporto e cultura e um ambiente de camaradagem e amizade que garantiu aos Jogos o selo de unidade sob o signo da qual eles foram promovidos” (3-09-2011).Trinta anos depois, fica a mensagem que resume esses dias: “ Angola ganhou!”
Fernando Pereira
4-9-2011



Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário

Nuvem

Angola na Imprensa (1772) música (399) jornais (325) Ágora (247) livros (233) F.Pereira (221) Historia de Angola (221) pintura (210) opinião (206) cultura (190) Luanda (116) desporto (114) fotografia (105) Território (74) literatura (73) africa (64) vídeo (64) culinária (60) Angola (55) Saúde (55) arte (55) escritores (55) reconstrução (54) Fauna (52) arquitectura (52) humor (51) personalidades (50) reciclagem (50) partidos políticos (49) turismo (49) Namibe (48) CAN2010 (47) futebol (46) energia (44) Luis Sá Silva (43) publicidade (43) Filatelia (42) Gastronomia Angola (42) Poesia (42) Cinema (41) economia (41) automobilismo (40) fotos (40) LAC (39) gastronomia angolana (37) sociologia (37) musica (36) Luanda Antena Comercial (35) POLITICA (34) valdemaribeiro (34) eleições (33) ensaios (32) Construção (31) visitando blogues (29) 95.5 (28) Elinga Teatro (28) informação (27) Girabola (26) eleições 2012 (26) Podcast (25) dança (25) Lubango (24) automóveis (24) blogs (24) teatro (24) Companhia de Dança Contemporânea de Angola (23) imprensa (23) política (23) basquetebol (22) bonecas (22) futebol angolano (22) rádio (22) CDC (21) cronicas . ensaios (21) sabores (21) Angola em fotos (20) Natal (20) Ondjaki (20) educação (19) notícias (19) eventos (18) frutas (18) Huambo (17) artesanato (17) cronicas (17) Benguela (16) GP3 (16) debate político (16) festas (16) Cozinha Angolana (15) Independência (15) Lobito (15) Parques Naturais (15) Presidente José Eduardo dos Santos (15) Sala de Música (15) curiosidades (15) receitas (15) Agostinho Neto (14) CASA-CE (14) EDUCAÇAO (14) entrevista (14) fotos antigas (14) Bloco Democrático (13) Companhaia de Dança (13) Rui Ramos (13) animais de Angola (13) 4 de Fevereiro (12) Angola descrita (12) Angola-Brasil (12) F.Quelhas (12) José Mena Abrantes (12) Solidariedade (12) comércio (12) memória (12) texto de leitor (12) viagens (12) áudio (12) Afrikya (11) Cabinda (11) Huila (11) José Rodrigues (11) Rádios Angolanas (11) agenda cultural (11) ambiente (11) ciência (11) escravatura (11) flora (11) kuduro (11) pessoas (11) 27 de Maio (10) Comentário (10) Jazz (10) Paulo Flores (10) Ruy Duarte de Carvalho (10) afrobasket (10) aniversário (10) escultura (10) estórias (10) exposição (10) futuro (10) geografia (10) malária (10) população (10) postais (10) povos (10) prémios (10) taag (10) unita (10) Huíla (9) Mateus Gonçalves (9) Palancas Negras (9) cplp (9) paludismo (9) pobreza (9) CAN2008 (8) Café da Manhã (8) Carnaval (8) Jorge António (8) Marcolino Moco (8) Pepetela (8) SOCIOLOGIA POLÍTICA (8) Sérgio Conceição (8) baía de Luanda (8) comboio (8) feriados (8) gentes (8) património (8) selecção de Angola (8) transporte (8) viagens no tempo (8) Festas do Mar (7) João Melo (7) Luandino Vieira (7) Malange (7) O País (7) Rui Mingas (7) SIDA (7) efemérides (7) ensino (7) falecimento (7) festival de teatro (7) heróis (7) percussão (7) Abel Chivukuvuku (6) Bom Dia - Bom dia (6) CAN2012 (6) Casa de Angola (6) Hóquei (6) Luisa Fançony (6) MPLA (6) ajuda (6) andebol (6) campanha eleitoral (6) chuva (6) colecção cartazes (6) filme (6) moda (6) sociedade (6) 25 de Abril (5) 4ª Conferência sobre Mulher e Desporto (5) Cartoon (5) Chá de Caxinde (5) Eleições em Notícia (5) FILDA (5) Luena (5) Mário Pinto de Andrade (5) Nelson Mandela (5) antiguidades (5) caminhos de ferro (5) contos (5) convite (5) crianças (5) cultos (5) desenho (5) dia de África (5) diversão (5) documentos (5) estradas (5) liberdade (5) lusofonia (5) moeda (5) o nosso Povo (5) petróleo (5) televisão (5) valdemar ribeiro (5) A Escola da Música (4) A Guerra (4) ADRA (4) Adams Kiluanji Smiths (4) Ana Clara Guerra Marques (4) André Mingas (4) Brasil (4) CFB (4) Capas de singles angolanos (4) Comemorações da Independência de Angola (4) Constituição (4) Diplomáticos (4) Duo Ouro Negro (4) Elias Dya Kimwezo (4) Expo 2010 (4) Fundação Sindika Dokolo (4) IIº Festival Internacional de Teatro e Artes (4) Jornal de Angola (4) Mulheres de Angola (4) N'gola Ritmos (4) Okutiuka (4) Ouvir Angola (4) Paulo Jorge (4) Pensar e Falar Angola (4) Raul do Rosário (4) Saurimo (4) Sónia Ferreira (4) Trincheira Firme (4) agricultura (4) arquitectura popular (4) colares (4) corrupção (4) desportos (4) ecologia (4) etnografia (4) hoquei em Patins (4) internet (4) media (4) medicina (4) trabalho (4) tradição (4) urbanismo (4) África (4) Ana Paula Tavares (3) António Jacinto (3) Baía dos Tigres (3) Caminhos de Ferro de Moçâmedes (3) Catumbela (3) Cuito Cuanavale (3) Denudado (3) Dia Mundial da Dança (3) Dia da Mulher (3) Dia do Herói Nacional (3) Ernesto Lara Filho (3) Filipe Mukenga (3) Homenagem (3) INFRAESTRUTURAS (3) Interclube (3) Investimentos (3) Jogos Olímpicos (3) Jorge Kalukembe (3) José Eduardo Agualusa (3) Justino Pinto de Andrade (3) Kudijimbe (3) Lino Damião (3) Manifesto (3) Manuel Victória Pereira (3) Mosquito (3) Mundial de Hóquei (3) Mário Tendinha (3) Patrício Batsîkama (3) Paulo Araujo (3) Pedroto (3) Prémio Maboque (3) Pérolas (3) Ricardo Teixeira (3) Rock Angolano (3) Teta Lando (3) Universidade (3) Yuri da Cunha (3) adivinhas (3) autores (3) candomblé (3) cidadania (3) coleccionismo (3) comunicação (3) conhecimento (3) conselhos (3) curso (3) david oliveira (3) democracia (3) deputados (3) desastre (3) desenvolvimento (3) design textil (3) dia da Independência (3) e-mail (3) elinga (3) empreendorismo (3) empresa (3) engenharia (3) estatística (3) estudantes (3) exportação (3) formação (3) globalização (3) governo (3) história natural (3) ideias (3) imobiliário (3) indústria (3) jornalismo (3) kuanza-Sul (3) legislação (3) lingua portuguesa (3) linguas (3) livro (3) mel gambôa (3) negritude (3) poesia lusófona (3) polícia (3) rios (3) ||| Trienal de Luanda (3) 11 de Novembro (2) 1º de Maio (2) 3º ano (2) A Matéria do Tempo (2) Agostinho André Mendes de Carvalho (2) Agualusa (2) Andulo (2) Angola no Afrobasket2013 (2) António Ole (2) Arlindo Barbeitos (2) Assembleia Nacional (2) BD (2) Beatriz Salucombo (2) Belita Palma (2) Bonga (2) Bonga Kwenda (2) CHAN (2) CUBE RECORDS (2) Café Negro (2) Cambambe (2) Campeonato do Mundo de Hóquei (2) Cangandala (2) Caála (2) Comissão Nacional Eleitoral (2) Correia Adão (2) Cuca (2) DTA (2) Divagações (2) Dog (2) Dog Murras (2) Don Sebas (2) Elinga Bar (2) Encontro (2) Estudos Angolanos (2) Estúdio de Actores (2) FAO (2) FBaião (2) FIC (2) FLEC (2) Festival Internacional de Jazz (2) Festival Internacional de Rock do Huambo (2) Festival de Cinema (2) Filipe Zau (2) Formula 3 (2) Fortaleza de Luanda (2) Fotografias (2) Fotografias de Angola (2) Francisco Vidal (2) Gustavo Costa (2) Helena Justino (2) Helena Magalhães (2) Hospital Pediátrico David Bernardino (2) Isabel dos Santos (2) Januário Jano (2) João Arrmando (2) João Baptista Vieira Lopes (2) Kilamba (2) Kuanza (2) Kwanza Norte (2) Leba (2) Lev'Arte (2) Luís Damião (2) Lúcio Lara (2) Mampuya (2) Mangovo (2) Manifestações (2) Manuel Rui (2) Manuel Ruy Monteiro (2) Margarida Paredes (2) Mbanza Congo (2) Mia Couto (2) Micaela Reis (2) MinhaAngola (2) Monza (2) Mucuio (2) Museu de História Natural (2) Nara (2) Nelo Teixeira (2) Neves e Sousa (2) O Blog Realmente Aberto (2) Online (2) Palácio de Ferro (2) Papa Bento XVI (2) Paulo Jazz (2) Paulo de Carvalho (2) Pedras Negras (2) Prémio Nacional da Cultura (2) Reacreativo do Libolo (2) Recordações (2) Reginaldo Silva (2) René Pélissier (2) Roderick Nehone (2) Rosa Coutinho (2) Rádio Ecclesia (2) SIEXPO (2) Sabby (2) Salvador Correia (2) Samakuva (2) Sambizanga (2) Savimbi (2) Sonangol (2) Sumbe (2) TPA Internacional (2) Tchokwé (2) Terra (2) Tio Liceu (2) Togo (2) Tonspi (2) Uíge (2) Valdemar Bastos (2) Viriato da Cruz (2) Visita de Estado (2) Viteix (2) Yaru Cândido (2) advogados (2) alimentação (2) angolanidade (2) antropologia (2) artes plásticas (2) aviação (2) bebidas (2) biodiversidade (2) ciclismo (2) cidades (2) colóquios (2) contestação (2) direitos e deveres (2) divulgação (2) educ'arte (2) escola (2) espectaculo (2) feira (2) fim de ano (2) fome (2) governação (2) herois (2) hino (2) instrumentos (2) kimalanga (2) kizomba (2) legislativas (2) leis (2) marginal (2) negócios (2) pensamentos (2) pesca (2) provérbio (2) racismo (2) religião (2) reportagem (2) resultados eleitorais (2) revistas (2) toponimia (2) transporte aéreo (2) trânsito (2) vias de comunicação (2) vistos (2) Álvaro Macieira (2) óbitos (2)  Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) "O Ocaso dos Pirilampos". (1) 04 de Abril (1) 1 de Maio (1) 15 de Março (1) 1º de Agosto (1) 2006 (1) 2008 (1) 2011 (1) 2012 (1) 2014 (1) 95 (1) A Poesia Angolana noa Caminho Doloroso da História (1) A Orfã do Rei (1) A Safra (1) ANGOLATELECOM (1) Acordos Luso-Angolanos (1) Acordos de Paz de Bicesse (1) Actores (1) Acácio Barradas (1) Adolfo Maria (1) Adriano B. de Vasconcelos (1) Adriano Botelho de Vasconcelos (1) Adriano Mixinge (1) Adriano Sebastião (1) Aeroporto Internacional de Luanda (1) Afrologia (1) Alda Lara (1) Alda do Espírito Santo (1) Alfabetização (1) Aline Frazão (1) Allende (1) Ana Dias Lourenço (1) Ana Paula dos Santos (1) Angola 74 (1) Angola Avante (1) Angola Rural (1) Angola e NBA (1) Angolares (1) Animação (1) António Kassoma (1) António Magina (1) António dos Santos (1) Anália de Victória Pereira (1) Apartheid (1) Apostolado (1) Artur Nunes (1) Assassinato (1) Associação 25 de Abril (1) Associação Kalu (1) Autódromo (1) Bahia (1) Baixa de Cassange (1) Banda (1) Banda Desenhada (1) Banda Maravilha (1) Before Crush (1) Benfica (1) Bienal (1) Bilhete de Identidade (1) Bimbe (1) Bié (1) Black Soul (1) Boas Fertas (1) Bruno M (1) COI (1) COSISA (1) CPJ (1) CRONICAS ENSAIOS (1) Cabo Ledo (1) Caleidoscópio (1) Calos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Cangola (1) Caotinha (1) Carlos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Carlos Ferreira (1) Carlos Ferreirinha (1) Carlos Morais (1) Carteira do Artista (1) Casa 70 (1) Casa do Gaiato (1) Casa do Gaiato de Benguela (1) Cavaqueira no Poste (1) Cesaire (1) Cesária Évora (1) Chia KMK (1) Chibia (1) Chiwale (1) Cinema Atlântico (1) Comité Olímpico (1) Companhia de Teatro Dadaísmo (1) Companhia de Teatro Gente (1) Concurso literário (1) Congresso (1) Cooperação Luso Angolana (1) Corte-Real Pereira (1) Costa Andrade (1) Cuba (1) Cubal (1) Cunene (1) Cónego Manuel das Neves (1) DNIC (1) Dalila Cabrita (1) David Zé (1) Death Metal Angola (1) Demósthenes (1) Dharmasena Pathiraja (1) Dharmasena Pathirajad (1) Dia da Mulher Africana (1) Dia de Camões (1) Dia internacional da Criança (1) Direitos Humanos (1) Direitos de autor (1) Discurso do Presidente Agostinho Neto (1) Dondo (1) Doutoramento (1) Drepanocitose (1) Duarte Ferreira (1) EXPO 2012 (1) Edgardo Xavier (1) Edite Soeiro (1) Eduarda Andrino (1) Eiffel (1) Embaixada de Angola em Portugal (1) Embaixador (1) Eng. Fernando Falcão (1) Espaço SIEXPO (1) Estórias de Angola (1) Etel Ferrão (1) Eugénio Costa Almeida (1) ExameAngola (1) Expo 2008 (1) FAA (1) FC Bravos do Maquis (1) FIL (1) FNLA (1) Fernando Baião (1) Fernando Laidley (1) Fernando Pacheco (1) Fernando Tavares Pimenta (1) Festival da Canção (1) Filhos da Pátria (1) Flávio Ferrão (1) Ford (1) Forum Angolanao (1) Força aérea (1) Fragata de Morais (1) Francisco Costa Andrade (1) Frases (1) Frei João Domingos (1) Frutos de Angola (1) Fundo de Solidariedade Lwini (1) Fátima Roque (1) Gabela (1) Gana (1) Gari Sinedima (1) Gastronomia Angolana (1) General Pakas (1) Graciano António Manuel Kalukango (1) Granito (1) Grupo Lareira (1) Grupo Pitabel (1) Grupo de Reflexão da Sociedade Civil de Angola (1) Guiné-Bissau (1) Gustave (1) Gustavo da Conceição (1) Gás (1) H (1) Helder Mendes (1) Henrique Artes (1) Herberto Helder (1) Hinos partidários (1) Holden Roberto (1) INESAAODH (1) INOVAR (1) Icolo e Bengo (1) Imbondeiro (1) Inocência Mata (1) Inscrições (1) Iraldo (1) Irina Vasconcelos (1) Isaura Maria da Conceição Epanda (1) Ismael Mateus (1) J.M.Coetzee (1) Jacinto Lemos (1) Jandira Sassingui (1) Jeremy Xido (1) Jerónimo Belo (1) Joaquim Furtado (1) Jodi Burch (1) Jomo Fortunato (1) Jonh Bela (1) Jordi Galcerán (1) Jorge De Palma (1) José Chaves (1) José Luis Mendonça (1) José Marcos Mavungo (1) José Maria Chaves (1) José Redinha (1) João Jorge Xavier (1) João Kassinda (1) João Soares (1) Kalandula (1) Kalumba (1) Kambumbe Lodje (1) Kandjila (1) Kaparandanda (1) Kate Hama (1) Kifangondo (1) Kiluanji Kia Henda (1) Kinaxixe (1) Kito Kimbenze (1) KuBass (1) Kuduro International Conference (1) Kwanza (1) LODGE (1) Lambarena (1) Leonor Figueiredo (1) Levy César Marcelino (1) Lilly Tchiumba (1) Lito Vidigal (1) Loanda (1) Luanary (1) Luanda Maputo (1) Luciano António (1) Lucira (1) Lugares (1) Luis Fernando (1) Luis Rosa Lopes (1) Lulendo (1) Lunda (1) Luz Veio (1) Luís Fernando (1) M'pty Head (1) MOVICEL (1) Maianga (1) Mano a Mano Produções (1) Manucho (1) Manuel Agostinho Salvador Ribeiro (1) Manuel Ennes Ferreira (1) Mara Dalva (1) Mara Manuela Cristina Ananaz (1) Maria Esperança Pascoal (1) Maria Mambo Café (1) Maria Rita (1) Massalo (1) Matála (1) Mayamba Editora (1) Memória de uma alcoólica (1) Menha Ma Zumbi (1) Menongue (1) Mestre Humberto (1) Miguel Anacoreta Correia (1) Miguel Barros (1) Miguel Zenón Quartet (1) Ministros de Angola (1) Miss Angola 2007 (1) Miss Mundo (1) Miss World (1) Monami (1) Morro Maluco (1) Morro da Luz (1) Morro da Maianga (1) Movimento Estudantil Angolano (1) Movimento X (1) Moçambique (1) Muanamosi Matumona (1) Mucubais (1) Mulher Desporto África 2008 (1) Murras (1) Museu Nacional de História Natural (1) Musongué da Tradição (1) Mutamba (1) Mário Guerra (1) MárioPalma (1) NASCAR (1) NEBLINA (1) Nastio (1) Ngolamirrors (1) Nito Alves (1) Njinga Rainha de Angola (1) Nossangola (1) Nzila (1) Nástio (1) Nástio Mosquito (1) O Moringue (1) O Método de Groholm (1) O Preço do Fato (1) O Rock Lalimwe Eteke Ifa (1) O Submarino Angolano (1) ONG (1) ONU (1) Orfanato (1) Orlando Sérgio (1) Ortopedia (1) Os Lambas (1) Ottoniela Bezerra (1) PENSAMENTO (1) PTNETangola (1) Pangueia Editora (1) Parlamento (1) Pauko Flores . música (1) Paulo Araújo (1) Paulo Capela (1) Paulo Kussy (1) Pedrito do Bié (1) Pedro Pinote (1) Petro (1) Photosynth (1) Processo dos 50 (1) Projecto Perpetuar (1) Prémio José Saramago (1) Quarta-feira (1) Quimbele (1) Quitexe (1) RNA (1) Rafael Marques (1) Raid Cacimbo (1) Raid TT (1) Rainha Ginga (1) Rainha Nzinga (1) Raul David (1) Recreativo da Caála (1) Ricardo Abreu (1) Rio Kuanza (1) Ritmo e Cultura (1) Robert Hudson (1) Roberto Ivens (1) Rocha Pinto (1) Rodrigues Vaz (1) Romi Anauel (1) Ruca Van-Dúnem (1) Rui Almeida (1) Rui Costa (1) Rui Monteiro (1) Rui Tavares (1) Ryszard Kapuscinski (1) Rádio Luanda (1) S.Tomé e Príncipe (1) SISTEC (1) Samba (1) Santocas (1) Sexta-feira (1) Silerstone (1) Silverstone (1) Simão Toco (1) Sita Valles (1) Slide de fotografias (1) Soyo (1) Suzana Inglês (1) Sérgio Guerra (1) Sérgio Mabombo (1) TEDxLuanda (1) Taekwondo (1) Tantã Cultural (1) Tchivinguiro (1) Terra dos Sonhos (1) Toke (1) Tomaz Jorge (1) Toty Semedo (1) Traumatologia (1) Tribunal de Contas (1) Trienal de Luanda (1) Tv (1) TvZimbo (1) Té Macedo (1) Tômbwa (1) UEA (1) UNITEL (1) União de Escritores Angolanos (1) Urbano de Castro (1) VIH/SIDA (1) VUM-VUM KAMUSASADI (1) Victor Gama (1) Vítor Burity da Silva (1) Waldemar Bastos (1) Welwitschia Mirabilis (1) Wilker Flores (1) Xadrez (1) Xá de Caxinde (1) Yonamine Miguel (1) You Failed... Now We Rule!!! A Nossa Vez!!! (1) Zeca Moreno (1) Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) abacate (1) acidentes (1) acordo ortográfico (1) agradecimento (1) alambamento (1) alfandega (1) angolano lá fora (1) antologia poetica (1) anuncio (1) anúncio (1) arbitrariedade (1) baleia (1) bancos (1) bandeira (1) barack obama (1) baía (1) biblioteca (1) bicicleta (1) borboletas (1) brancos (1) cacusso (1) capacitação (1) carta aberta (1) casamento (1) cerâmica (1) cine art angola (1) clima (1) cogumelos (1) combustível (1) comemorações (1) comunidades (1) concertos musicais (1) concurso fotografia (1) contador (1) contrafacção (1) convívio (1) cooperação desportiva (1) crónicas (1) cursos (1) desalojados (1) desarmamento (1) descolonização (1) desgraça (1) design grafico (1) desporto paralímpico (1) dia do pai (1) dimantes (1) dinheiro (1) doclisboa 2012 (1) doença do sono (1) dvd (1) e--books (1) emprego (1) encontro mulheres angolana (1) escr (1) estorieta (1) explicação (1) expressão dramática (1) f (1) facebook (1) famílias (1) feira do Livro (1) feminismo (1) feministas (1) ficção (1) fiscalidade (1) floresta (1) fm (1) fábulas (1) férias (1) gora (1) graffiti (1) história Angola (1) hobby (1) humor angolano (1) idolos (1) igreja (1) iniciativa (1) intercâmbio (1) interrupção (1) investigação (1) jindungo (1) jo (1) justiça (1) juventude (1) kalulu (1) kamussekele (1) kassekele (1) kimbos (1) kit surf em Angola (1) leitura (1) lendas (1) luto (1) línguas nacionais (1) militares (1) minas (1) minas de prata (1) miss Universo (1) modernização (1) mosca tsé-tsé (1) motas (1) muamba (1) música. fotos antigas (1) narrativa (1) natação (1) nação negra (1) negros (1) néo-liberalismo (1) o mundo (1) off-road (1) parabens (1) passados. estórias (1) passatempo (1) pecuária (1) pensar (1) perdidos e achados (1) piri-piri (1) poe (1) porto de Luanda (1) povo (1) primeira-dama de Angola (1) prisões (1) prédio Cuca (1) qualificação das pessoas (1) ra (1) raça (1) recuperação (1) refugiados (1) registo eleitoral (1) renovação (1) repatriamento (1) restaurantes (1) san (1) segurança (1) sem etiqueta (1) seminário (1) soberania (1) surf em Angola (1) taxis (1) telecomunicações (1) todo o terreno (1) tragedia (1) tripanossomíase (1) turtulhos (1) twitter (1) técnica (1) um livro. solidariedade (1) valdemar F. Ribeiro (1) vfr (1) vigarices (1) violência (1) voz (1) youTube (1) «ANGOLA: A TERCEIRA ALTERNATIVA» (1) Álvaro Ascenso (1) Álvaro Mateus (1) Óscar Ribas (1) ética (1) ídolos (1)