Pesquisar neste blogue

terça-feira, 30 de junho de 2009

Notícias no Google sobre Angola

Pivô de Angola lamenta derrota elástica e se diz fã de Betão
ESPN Brasil - São Paulo,SP,Brazil
Além do goleiro Bruno, o time de Moçambique teve outro destaque na partida desta segunda-feira contra o Brasil pelo Grand Prix de futsal: Mamba. ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
FNLA esclarece aos militantes o projecto de Constituição de Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Caxito – O presidente da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Ngola Kabangu, esclareceu, em Caxito, província do Bengo, o projecto de ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Décima edição do ''Angola Fashion Week'' com maior tempo de exibição
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – A empresa promotora do Angola Fashion Week "Arenadirect" aumentou para três os dias de apresentação do maior evento de moda no país, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Zon confirma estar a negociar entrada em Angola
Diário Digital - Lisboa,Portugal
A Zon Multimédia confirmou hoje estar a estudar a possibilidade de lançar uma televisão por subscrição em Angola, em parceria com uma empresa controlada ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Mais de 13 mil refugiados angolanos registados em Kinshasa
Panapress - Luanda,Luanda,Angola
Kinshasa, RD Congo (PANA) - Um total de 13 mil e 447 cidadãos angolanos estão refugiados em Kinshasa, revelou o Secretariado Permanente da Comissão Nacional ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Delegação angolana cumpre visita de trabalho
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Hoje, terça-feira, realiza-se nas instalações da Embaixada de Angola nos EUA o workshop sobre oportunidades de investimento em Angola nos sectores ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
CARNES: EXPORTAÇÕES DE LEITE IN NATURA RECUAM NO 1o TRIMESTRE DE 2009
Último Segundo - São Paulo,SP,Brazil
... quando comparado com o 1o trimestre de 2008. Entre os principais importadores dos produtos lácteos brasileiros destacam-se Venezuela e Angola.
Veja todos os artigos sobre este tópico
Suécia quer contactos "mais intensos"com Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
O repto foi assumido segunda-feira, em Luanda, pelo novo embaixador sueco em Angola, Bo Emithén, cujo país assume a presidência rotativa da União Europeia ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Embaixador de Angola visita consulado no Porto
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Lisboa - O embaixador de Angola em Portugal, José Marcos Barrica, inteirou-se, no fim-de-semana, do funcionamento do consulado do país na cidade nortenha do ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Rio de Janeiro recebe a segunda edição do Festival de Teatro da ...
Portugal Digital - Brasília,Brazil
O festival reunirá companhias de teatro de todos os países lusófonos (Brasil, Portugal, Moçambique, Cabo Verde e Angola). Contará com as seguintes ...
Veja todos os artigos sobre este tópico


«O Pai do Nacionalismo Angolano»

A obra “O Pai do Nacionalismo Angolano” que retrata a vida e obra de Holden Roberto foi posto a venda, em Luanda numa iniciativa da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA).

O livro está a ser comercializado no valor de cinco mil Kwanzas, sendo este o primeiro volume que abarca o período compreendido entre 1923/1974.

Segundo o autor da obra, João Paulo Nganga, “ Holden Roberto constituiu um grito de liberdade das colónias portuguesas de África, uma vez que o líder integrou o novo conceito dos países lusófonos na guerra de libertação contra a opressão colonial”.

Na ocasião, o presidente da FNLA, Ngola Kabangu, disse esperar com o lançamento destas memórias que o povo angolano venha a adquirir mais conhecimentos sobre a História do seu país, como era desejo expresso do seu autor.

Os dois volumes embora heterogéneos têm o condão de ter uma simbiose contrariante, porque se quisermos encurta-la, alongamo-la e ao tentarmos faze-lo de maneira extensa, damo-nos conta de que, realmente, o que dissemos não passa de um resumo", afirmou o politico ao apresentar a obra.

Em declarações à Angop, Ngola Kabangu afirmou que “a partir de agora, estarão disponíveis as informações vitais sobre o que realmente aconteceu no país, desde as revoltas das populações contra a opressão colonial, até à independência nacional”.

O escritor Mendes de Carvalho valorizou a obra, afirmando que “o titulo deste livro o Pai do Nacionalismo Angolano, Álvaro Holden Roberto, é certo, pois como também a Rainha Nzinga Mbandi, o rei Mandume do Bailundo, o rei Ngola Kiluange e muito mais são realmente nacionalistas”.

Enalteceu a coragem de João Paulo Nganga por ter publicado esta obra que retratam as memorias do líder histórico da FNLA.

Álvaro Holden Roberto nasceu em Mbanza Congo, província do Zaire, no dia 12 de Janeiro de 1923 e faleceu a 2 de Agosto de 2007 em Luanda, vítima de doença.

O acto que decorreu no Museu das Histórias Naturais, em Luanda, contou com a presença de antigos combatentes da FNLA, deputados de diversos partidos políticos, historiadores, escritores, professores, membros da sociedade civil, estrangeiros, estudantes, entre outros cidadãos interessados.




Pensar e Falar Angola

Notícias no Google sobre Angola

Angola será um dos grandes actores políticos africanos, diz ...
OJE - Lisboa,Lisboa,Portugal
O vice-presidente da International Finance Corporation (IFC), ligada ao Banco Mundial, Thierry Tanoh, considerou hoje que Angola vai ser nos próximos anos ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Produção agropecuária angolana tem destaque na África
Agência Lusa - São Paulo,SP,Brazil
Jacques Diouf, que chegou domingo a Luanda para uma visita oficial de dois dias, lembrou, no entanto, que Angola tem este crescimento a partir de uma base ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Ministro angolano pede criação de sistema para conter crise
Agência Lusa - São Paulo,SP,Brazil
Lisboa, 29 jun (Lusa) - O ministro angolano das Finanças, Eduardo Severim de Morais, defendeu nesta segunda-feira a criação de uma plataforma comum de ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola espera crescer a dois dígitos em 2010
Diário Digital - Lisboa,Portugal
A economia angolana vai crescer na ordem de dois dígitos já em 2010, após o Governo ter revisto em baixa o crescimento do PIB para 6,2% em 2009, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola procura ultrapassar Hungria no torneio do Brasil
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Goiânia (Do enviado especial) - A selecção nacional de futsal defronta hoje às 15 horas (19 em Angola) a sua congénere da Hungria, para a segunda jornada do ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Gala de beneficência marca 33 anos de existência do Jornal de Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Uíge - Uma gala de beneficência realizada sob a égide da Delegação local do Jornal de Angola, nesse fim-de-semana, em Negage, 37 quilómetros da cidade do ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Mais de cem jovens ingressam na Associação de Escuteiros de Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Ndalatando - Cento e 41 jovens cumpriram domingo último, em Ndalatando, Kwanza Norte, o juramento de ingresso na Associação dos Escuteiros de Angola (AEA), ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola liquida quotas até 2010
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Sirte – A República de Angola pagou as suas quotas à União Africana (UA), antecipadamente até 2010, refere o relatório do Sub-comité das Contribuições do ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Visabeira distribui RTPN em Angola e Moçambique
Diário Digital - Lisboa,Portugal
A RTPN será transmitida pela TV Cabo Angola e pela TV Cabo Moçambique, empresas do grupo Visabeira que detém em parceria com a Angola Telecom e TDM, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Casa da Cultura Brasil-Angola lança projecto sopa de letras
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – Um projecto designado "Sopa de Letrinhas" será lançado quarta-feira (dia 01 de Julho), em Luanda, pela Casa da Cultura Brasil-Angola, com vista a ...
Veja todos os artigos sobre este tópico


segunda-feira, 29 de junho de 2009

O Insustentável peso da pobreza

Há dias em conversa com um responsável de um gabinete da “ajuda internacional” sediada em Angola, e dado o contexto profissional da ocorrência, pasmei ao ouvir dizer que os doadores tradicionais estão progressivamente a abandonar o país, agora não mais em situação de emergência, a carecer da ajuda humanitária de que beneficiou em tempos de guerra. E o argumento será o de que já não é necessário, o país é rico e tem muitos recursos, e a pobreza já não mora aqui. E, ouvi ainda, não falta quem, vivendo em Luanda, confirme esta desnecessidade, argumentando que poderá haver algumas bolsas de pobreza, talvez nas periferias, nada porém que justifique a por alguns alardeada miséria generalizada. Essa, ou dessa, já não há. Estamos a falar de estrangeiros residentes, quiçá representantes de organismos ditos humanitários, empenhados no processo de desenvolvimento em curso, o negócio da reconstrução, digo eu, processo esse que, pelos vistos, não põe as pessoas em primeiro lugar (??!!!) como no tal período da emergência. Não consegui calar o pasmo, apesar do melindre da situação, , e perguntei se esse “já não há” é eufemismo de discurso oficial para afinarem todos pelo mesmo diapasão, os de fora e os de dentro, porque o que há até um cego vê, a não ser que seja um que não quer ver. E a resposta veio pronta, não, dependendo do como-e- onde-se-vive e do com-quem-se-convive, as pessoas não se apercebem da pobreza que anda à solta!!? Estamos conversados.

Da janela do ar condicionado, trancado, basta entrar na ilha de Luanda, a mítica e efabulada ilha de todos os contrastes para nos bater de frente a emergência do insustentável peso da pobreza. A ilha deprime-me. A ilha assusta-me. A ilha inibe-me, Não deito a cabeça de fora nem ponho o pé no chão. A eito não, só nos sítios onde-como-e-com-quem. E se há sítios a não ficar nada atrás de qualquer riviera que se preze é na ilha. E se há requinte, qualidade, bom gosto e diversão, e uma carteira recheada também se recomenda, é na ilha. Já por lá andei e gostei. Não muito, porque não sou muito in, porque não ando a esfarrapar dinheiro a rodos, e porque não gosto, já o disse, de andar cá fora.Gosto mas é depois de estar lá dentro, nos sítios. Onde a noite se aconchega no sussurrar das palmeiras a debruar os tablados donde se escoa a música-ambiente que adoça os brilhos do mar ali ao pé, e a brisa sopra os penachos dos coqueteiles das petisqueiras. Com estacionamento vigiado, sem o indizível bafo de todos os detritos, nem a comichão da lama e da poeira nem a impertinência da pedinchice que nos encabula e entala, e por ser tanta intimida, e pode atacar, que a pobreza não é apenas sina de desgraçadinhos, é também forja de vícios, e o de roubar e matar não é só fumaça de loucos. É a desavergonhada miséria, galdéria destravada a desbundar maus costumes. Insensível à beleza da ilha, a espatifar a floresta que só estorva e a conspurcar as areias que não seguram os casebres em noites de calema, a rondar manhosa as casas dos ricos e a farejar o golpe nos sítios onde eles se poisam.
Nas raizes dos “ilheus” há kiandas que se banham no mar em noites de luar, há bairros que se afundam no areal sobrante da desmatação urbana, há velhos encarquilhados na desmesura do nada-é-como-era e meninos largados no vozeirão do agora-cada-um-que-se-amanhe. E numa noite de calemas foram engolidas duzentas habitações, calamidade natural, e o bairro teve de ser evacuado e o povo foi para um abrigo temporário anunciado, campo de tendas a milhas dali, até que se lhes reconstrua outra vida, noutro sítio. E depois veio uma noite de negligência de vela mal ardida e sessenta residências arderam e o povo teve de ser evacuado e foi para um abrigo temporário anunciado, et ceatera, até que….

A ilha vai mudar, o anúncio é oficial, a ilha vai ser o sítio mais bonito de Luanda, moderno, arrojado, poiso de todas as vanguardas, e “as mamãs da ilha nada têm que recear”, master dixit. Hão-de voltar e tudo vai ser como dantes. A cada um o seu sítio. Pois então.


Luanda, 15 junho 2009

Por Calandula a Malanje...

O fim de semana prolongado convidava ao passeio fora de portas, porém, a alegada sobrelotação de hoteis e quejandos, nos destinos mais cobiçados, forçou a saída antes do raiar do sol, num ir e vir de assentada a terras de Malanje.

Em tempo de cacimbo os dias são bem mais curtos, daí a partida de Luanda pelas cinco da manhã, noite ainda, rumo às quedas de água de Calandula, na província de Malanje, sendo que o regresso já então se adivinhava noite fora, pois que pouco depois das seis da tarde anoitece e viajar de noite é acto aventureiro. As estradas não são iluminadas, claro, nem a iluminação pública, que a não há, se incendeia a torto e a direito pelas larguezas deste país imenso e despovoado, onde aldeias de palhotas ou de blocos de argila, amarela e vermellha, a dar à paisagem uns esbatidos de côr por debaixo das cabeleiras escuras dos colmos dos telhados, se aninham no mato, o capim ainda alto na chana e a floresta a reverdejar intumescida das chuvas que se foram faz pouco. Do onde-a-onde das sanzalas ao faz-de- conta de vilas e cidades, a maior parte estropiadas, mutiladas de guerra embrulhadas no manto andrajoso do musseque de pobrezas sem fim, acender públicos luzeiros para alumiar forasteiros em trânsito não é necessariamente a primeira necessidade. A energia eléctrica, a desejada, quando aqui chegar há-de encontrar melhor poiso em hospitais, centros comunais, escolas e demais, antes de desaguar em néons achinesados a semear honguekongues de imitação que têm tudo a ver com o que não combina com estas terras nem com a sua tradição. Passe o preconceito cultural que a segundo plano vota o conforto das lâmpadas, salvaguardado o direito ao bem-estar das gentes que aqui vivem, não há luzeiro mais belo que uma noite de luar, no mato. Sobretudo para quem está de passagem, viajando…

Viajando, e do perigo anunciado de o fazer de noite se precaver, pois as possibilidades são infinitas: ele são os carros, ligeiros ou pesados, mesmo os pesadíssimos, que circulam sem nenhuma ou muito fraca luz, e quando não em contra-mão; ele são as avarias sinalizadas com montinhos de predras e ramos, e quem os vê?!!; ele são os inesperados e lunares buracos que podem aparecer, e quando menos se espera; ele são os peões solitários que deambulam estrada fora, fora das bermas, quantas vezes fora de toda e qualquer ajuizada prudência. Para não falar no risco permanente de se apanhar com a insana condução, assassina, em excesso de velocidade e estado de embriaguez, tudo a subir à medida que a noite sobe. Depois, ou antes de mais, ao aproximar das povoações , há carreiros de gente, homens no regresso do trabalho, mulheres saídas das lavras, cachos de putos a serigaitar, tudo caminhando na beira da estrada. E umas trouxas de cabras enroladas a dormir também lá podem estar, na estrada, sem luz. E desta viagem me ficou a imagem de N’Dalatando, cidade que antes da guerra era jardim, hoje capital de província, ainda sob o efeito pós-traumático, macilenta e mal trajada, muito cheia de avenidas alcatroadas e desguarnecidas, à espera de melhores dias, que na noite se adivinha luzindo como uma procissão de velas, umas dezenas. E gente, muita gente a encarreirar estrada adiante.Quando crescer esta cidade vai ser grande. Hei-de voltar para ver. E vai valer a pena.
Como valeu a pena dar um salto a Malanje, cidade ainda modesta, porém formosa e aperaltada. A chegada faz-se por entre um renque de árvores, talvez acácias aparentadas, meote branco, qual estrada-alameda, e não se avista o musseque, apenas uns bairros de casitas alinhadas, pintadas de fresco algumas, desenxovalhadas todas. Estranhamente, e com deliciada surpresa, o lençol esfarrapado e pardacento, pejado de lixo, viveiro de “macrobianas” misérias, não se faz aparecido aos olhos do visitante. Na praça central, belos edifícios da era colonial em esquadria, estende-se um gracioso jardim, cujas pérgulas de fulvas buganvílias espalham beleza e sombra. Gostei desta Malanje, flausina, sem ar de posses mas bem apessoada. Peneirenta bonita. É de voltar. E percorrer a preceito.

Calandula, pequena vila junto ao rio Lucala, afluente do Kuanza, dá o nome às portentosas quedas de água, outrora chamadas dos “Duques de Bragança”, que justificam as permanentes romarias de turistas nacionais e estrangeiros. Quando se deixa a estrada N’Dalantado-Malanje, e se entra na picada rumo ao destino, nada na paisagem faz antever o deslumbramento das cataratas. A terra, por vezes cultivada, mostra-se pobre, algo ressequida, e poucos são as gentes e os quimbos que se avistam nos longes do planalto. De repente, após umas boas dezenas de lentos quilómetros, um amontoado de carros e um formigar de gentes em redor denunciam a chegada ao local, mas das quedas ainda não há vista, ou não parece haver. Eis senão quando, transposto o anódino miradouro, uma imensa cascata branca “fumegante” se despenha num barranco comprido e estreito onde se deitam dois arco-íris, um mais abaixo nítido e vibrante de cor, o outro mais acima já meio apagado pela fumaça da água que se abate, mas ainda assim a compor o por-mais-que-se-descreva indescritível quadro!!! Das quedas se diz que têm mais de cem metros de altura e não sei quantos de extensão, todavia o espanto deslumbrado que desenham no cenário bravio e selvagem não cabe na descrição da paisagem circundante, que só paisagem é, força da natureza tão ao jeito de África, continente-berço da humanidade como aqui é designado.

A emoção que se solta é do tamanho dos milhões de gotículas que se esfumegam no estrondear espalhafatoso da queda, apenas pressentida por detrás do arvoredo de troncos entrelaçados em caprichosas espirais de folhagens várias, pranchado à beira-rio, como se não fosse nada. Rio que corre, esgueirando-se ladino pelas rochas redondas, lisas, a exigir músculos e cautelas das pernas que as vão atrepando, esgueirando-se até ao cume da ravina. E de novo o deslumbrado espanto em nova perspectiva. De caminho há quem se enfie na água, entalado nas rochas em massagens de correnteza, tipo jacuzzi à moda da terra. Quando o calor aperta o improviso entra em cena.


Luanda, 3 Junho 2009

Os Internacionalistas

De Volta aos Nacionalistas!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
 

 
Posted by Toke

Pensar e Falar Angola

Visita do presidente da Rússia - Especial com Mateus Gonçalves.

26/06/09

Visita do presidente da Rússia


Especial  com Mateus Gonçalves.

 
Posted by Toke

domingo, 28 de junho de 2009

Notícias no Google sobre Angola

Chico Maia
O Tempo - Belo Horizonte,MG,Brazil
Muito bem produzido pela jornalista Soraya Vasconcelos, o "Terra de Minas" vai também para Angola e Europa, e quem assiste tem a maior vontade de visitar o ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola na 13ª sessão ordinária da União Africana
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – Uma delegação angolana, chefiada pelo ministro das Relações Exteriores, Assunção dos Anjos, deslocou-se hoje (domingo) à Líbia, onde vai participar ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Grande Prémio do Brasil/Angola estreia-se diante do Paraguai
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Goiânia, Brasil, (Do enviado especial) - A selecção nacional de futsal defronta hoje, nesta cidade, as 11:30 horas locais (15:30 em Angola), a sua similar ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Embaixador angolano na Grécia felicita Jornal de Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
"Venho em meu nome próprio, da minha família, dos funcionários da embaixada e da comunidade angolana expressar as nossas mais efusivas felicitações ao ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Grand Prix: Angola pronta para estreia
Final Sports - Porto Alegre,Brazil
A seleção angolana quer voltar para casa ao final do 5º Grand Prix de Futsal com a bagagem recheada de experiência e vitórias. O técnico Imran Miguel Cunha ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Mercado do Benfica: o clamor de uma "feira" que busca socorro
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Aberto há duas décadas na comuna do Benfica, município da Samba, o espaço tornou-se referência para quem se desloca a Angola, servindo de fonte para os ...
Veja todos os artigos sobre este tópico


Café LAC - Com José Rodrigues - 95.5 Fm - Luanda - Angola

Abrir este áudio noutra janela

ze_rodrigues_320_240

Café da Manhã

Com José Rodrigues

Cedinho, pelo Maculusso, nas manhãs de terça-feira, José Rodrigues serve-nos o Café da Manhã nos 95.5 FM da LAC - Luanda Antena Comercial, na companhia dos seus convidados que nos privilegiam com as suas reflexões matutinas despertando-nos para a actualidade informativa de Angola.

Tentaremos acompanhar semanalmente, em formato podcast, as entrevistas do director de informação da LAC às mais proeminentes individualidades que ocupam cargos institucionais e não só, do panorama político angolano.

Posted by Toke

Pensar e Falar de Angola

27/06/09 - Bom Dia - Bom Dia!!! - LAC

















Posted by Toke


Pensar e Falar Angola

TIGRES


Passa-se no Rio de Janeiro no início do século XIX

(...)

"A urina e as fezes dos moradores, recolhidas durante a noite, eram transportadas de manhã para serem despejadas no mar por escravos que carregavam grandes tonéis de esgoto às costas. Durante o percurso, parte do conteúdo desses tonéis repleto de amónia e ureia, caía sobre a pele e, com o passar do tempo, deixava listas brancas sobre as costas negras. Por isso, estes escravos eram conhecidos como "tigres"."

in "1808" de Laurentino Gomes


Fiquei estarrecida!



Pensar e Falar Angola

Ágora (71) - A Vida que os Portuqueses deixaram


Na segunda metade dos anos setenta, Lisboa foi inundada por uma panóplia de títulos, em que invariavelmente, os temas eram o ódio visceral ao MPLA e a incitação ao linchamento de Rosa Coutinho e a de outros elementos do MFA!
Nenhum desses livros, é particularmente importante para se retirar algum detalhe importante para a história de Angola, ou até mesmo para memória futura da “descolonização”. Os armazéns de distribuição ficaram pejados de inutilidades, que mais tarde acabaram vendidos para reciclagem. Pela minha parte só lamento, o tempo que perdi a ler tanto desperdício de papel e tinta.
Com o passar dos anos, para os portugueses que deixaram Angola em 1975, e os que acidentalmente lá nasceram, a palavra “retorno” foi perdendo significado. Os devaneios literários das pessoa, passaram para um quotidiano de trabalho e de vida, onde cada vez menos tinha lugar a palavra “saudade”.
Há uns poucos anos a esta parte, mercê de inovadoras formas de comunicação, de reencontros possibilitados pelo acesso generalizado da internet, assistimos ao renascer de um novo surto da literatura de “Aquém e Além-mar e África”, e de um momento para o outro, os escaparates das livrarias voltaram a ter livros, com textos ligados a uma pituitária emocional, impregnada pelo “cheiro da terra vermelha molhada”.
“Retornados” de há trinta e cinco anos, ou seus descendentes com algumas imagens difusas da terra que largaram em condições particularmente desagradáveis, voltam de pena afiada a produzirem livros. São menos ideológicos, romanceados e polvilhados aqui e ali por imagens, que se encontram com mais facilidade em brochuras turísticas de domínios exóticos, ou no imaginário de algumas pessoas, frutos de sonhos de anos, do que a realidade do que aconteceu ou do que existe, e que afinal não está tão destruído como durante anos lhes foi pintado.
Recentemente saíram pela Oficina do Livro, “A Balada do Ultramar” do jornalista Manuel Acácio ; A reedição desta vez pela editorial Cristo Negro, “Os retornados, o Adeus a África” do médico António Trabulo; O “Lobito” de Antonio Mateus, editado pela “Guerra e Paz”. Este conjunto de livros não merecem grande comentário, porque não me despertaram alguma emoção quando os li.
Simultaneamente apareceu, editado pela “ Saída de Emergência”, com o título “Angola a Ferro e Fogo”,de um tal Gerard de Villiers, que é um romance no mínimo absurdo. É uma tentativa medíocre de imitar Laterguy, polvilhada aqui e ali com um misto de “África Adeus” com os “Jogos Africanos” do Jaime Nogueira Pinto. Mais uma vez, penso que quem evitar a sua leitura, será mais feliz que eu, que o tive que ler, para escrever e dar esta minha benevolente opinião.
No meio disto tudo, e quando começava a desesperar, tive uma magnífica surpresa, que é o interessante livro da jornalista free-lancer,Ana Sofia Fonseca, “Angola Terra Prometida” , editada pela “Esfera dos Livros”, graficamente muito bem concebido, em que a capa indicia claramente a forma como se vão desenrolando textos, fotos e anúncios diversos ao longo da obra.
Quando adquiri o livro, confesso que o fiz com alguma reserva, pois esperava mais do mesmo, mas à medida que avançava na leitura, as reservas iniciais iam-se rapidamente dissipando, já que a escrita é absorvente e muito bem contextualizada no tempo e também no modo.
Ao longo de trezentas e tal páginas, a autora fala com portugueses, mas levanta o biombo, que muitos deles se esqueceram de espreitar, durante os anos que viveram em Angola, e que tinha a ver com a segregação, e que é salientada no livro, sem atavismos de natureza ideológica ou necessidade de algum exercício de expiação. “ A vida que os portugueses deixaram”, foi fruto de um belíssimo trabalho das autoridades coloniais que no cínico e aparente diáfano da linguagem do “muitas raças, muitos povos, uma só nação”!
Uma coisa a reter no livro, tem a ver com o denominador comum da saudade dos entrevistados, que ao tempo do desenlace com Angola eram jovens, solteiros ou casadinhos de fresco, e sem saberem quão sofrida a sua vida. Também isso muda tudo, pois todos invariavelmente temos alguma saudade do nosso passado de juventude, quer se viva em Angola, Portugal, Brasil ou Nepal. Eu próprio, que partilho a opinião do José Gomes Ferreira, de que “tenho saudades é do futuro”, não escondo alguma emoção quando recordo algumas coisas de um tempo ido que só teve muito de bom, porque era jovem, já que de qualquer forma irrepetível, e ainda bem!
Merece ser comprado, mas que ninguém espere um “livro militante”.É acima de tudo um brilhante e sério trabalho de uma jornalista ainda pouco mais que debutante, que iremos começar a olhar com atenção.


Pensar e Falar Angola

Afrikya Podcast semanal na LAC


Posted by Toke

Pensar e Falar Angola

27/06/09 - Retrospectiva da Semana LAC - 19:00 horas

Edição e apresentação de Kieza Silvestre.
Montagem de Nicolau Lunda.
Técnica final de Anacleto José.
Direcção de Informação:
José Rodrigues.
LAC - 95.5 FM Luanda Antena Comercial
Luanda - Angola
Posted by Toke
Pensar e Falar Angola

sábado, 27 de junho de 2009

Notícias no Google sobre Angola

Jornalistas confraternizam para assinalar 33º aniversário do ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
M'banza Kongo – O trigésimo terceiro aniversário do Jornal de Angola (Edições Novembro) foi assinalado hoje (sábado) em M'banza Kongo (Zaire) com um almoço ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Satélite angolano lançado até 2012 com financiamento russo
Diário Digital - Lisboa,Portugal
Angola vai ter um satélite de telecomunicações dentro de dois a três anos, o Angosat, financiando em 295 milhões de dólares (209 milhões de euros) por três ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Antiga "estrela" africana considera acessível grupo de Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - O antigo poste da selecção nacional de basquetebol sénior masculina Jean Jacques da Conceição considerou acessível o grupo de Angola no Campeonato ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola: Novo código de estrada em acção
Global Voices Online - Brasília,Brazil
O novo código de estrada angolano, em vigor desde o passado dia 1 de Abril, tem dividido a sociedade angolana. Para alguns, o novo código é uma boa medida ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Destacada importância da Unap na divulgação da historiografia de ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - O deputado da sexta Comissão da Assembleia Nacional (AN), Castro Maria, destacou, sexta-feira, em Luanda, a importância da União Nacional dos ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola disputa primeira fase com Mali, Egipto e Mocambique
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
De acordo com o sorteio, efectuado sexta-feira na cidade líbia de Subrata, os angolanos, campeões africanos, estão no grupo B onde são cabeça de série. ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Agência Cubana de Notícias
Angolanos pedem intervenção de Obama no caso dos Cinco
Agência Cubana de Notícias - Havana,Havana,Cuba
HAVANA, Cuba, 26 jun (ACN) A ASAC (Associação de Amizade Angola-Cuba) pediu ao presidente estadunidense, Barack Obama, fazer justiça no caso de cinco ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
AngolaPress
Dmitri Medvedev termina visita oficial a Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Durante a sua estada, Dmitri Medvedev cumpriu uma intensa jornada de trabalho, destacando-se o encontro em privado com o Chefe de Estado angolano e as ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola/Russia: Relações bilaterais mais fortificadas com visita de ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - As relações bilaterais entre Angola e Federação da Rússia saíram hoje mais fortificadas com a assinatura dos instrumentos jurídicos que irão ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Vice-ministro reconhece qualidade do serviço on line do Jornal de ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – As melhorias de grafismo e conteúdos informativos introduzidos no novo serviço online do Jornal de Angola vão ajudar os leitores a ter informação ...
Veja todos os artigos sobre este tópico


Sábado Musical

Tantã Cultural Nº 320



Posted by Toke

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Mário Pinto, Explorador ecológico


 

Mário Pinto, Explorador ecológico

Entusiasta das viagens de aventura, em contacto com a natureza, conhece o país de lés-a-lés.

Em 2004 foi o fundador, juntamente com Paul, Wesson, da Ecotur, uma empresa especializada na comercialização de pacotes de viagens de aventura pelo interior de Angola.

A Ecotur também organiza viagens para a Namíbia em parceria com a empresa Dunas Safari (seus colegas e amigos). “O tipo de clientes é cada vez mais diversificado. No início eram sobretudo os expatriados, residentes em Angola, que nos procuravam. Hoje há cada vez mais turistas angolanos que começam a trazer as suas famílias”, diz com orgulho.

É que nos programas da Ecotur há de tudo. Desde uma simples excursão de um dia ao Parque Nacional da Kissama, até aos pacotes de três dias às quedas da Kalandula ou ao Wako Kungo e as viagens mais ousadas de 10 dias ao deserto do Namibe.

“A estrada pelo litoral, que vai de Benguela ao Namibe, é uma das mais belas do mundo”, diz Mário Pinto que acrescenta. “Há programas para todos os gostos. Desde os mais familiares com estadias em hotéis, até aos mais aventureiros com dormidas em tendas.

“Nós não fazemos publicidade. Temos apenas um site na Internet. Os clientes satisfeitos é que vão passando a informação aos amigos”, justifica.

 

Mário trata de tudo. Das dormidas, às comidas, dos veículos todo-o-terreno engenhosamente equipados com depósitos-extra de combustível e água.

SAFARIS REAIS

Além de conhecer Angola como a palma da mão, Mário é um excelente mecânico e um condutor experimentado. Participou no Raid Kalandula, realizado logo após a chegada da paz, e foi o primeiro a fazer Luanda- -Maputo em Land Rover.

 

É também um especialista em safaris. Participou num deles, organizado pela Angola Safaris com Don Juan Carlos de Bourbon, Rei de Espanha (na altura era príncipe). Nunca parou de fazer expedições. Mesmo durante a guerra. Recorda--se de uma, em particular, em que trazia uma arma escondida no radiador — apenas para defesa pessoal — que esteve quase a ser descoberta pela polícia na fronteira à entrada do país.

 

Mário Pinto ia com a sua família que não suspeitou de nada. “Mais tarde contei- -lhes e eles iam morrendo de susto. Só quando entrámos em Angola, por essa estrada, é que nos apercebemos da beleza esmagadora do país.

A diversidade das paisagens, o verde da natureza é inesquecível. A transição de quem vem do Botswana e da Namíbia árida, para o Cunene verde, é algo de mágico”, sublinha.


AS MELHORES PAISAGENS

Porém a viagem mais extraordinária que fez foi de Angola à Tanzânia. Neste país ficou maravilhado com a grandiosa cratera do Ngorongoro. No que se refere a parques de animais Etosha e Khaudom, ambos na Namíbia, estão no seu top. Seguem-se Hwange, no Zimbabué e Kitulo na Tanzânia (devido à botânica).

Também adorou a volta pelos parques de animais realizada na África do Sul, embora considere que o famoso Kruger é um pouco mais comercial. Em Angola os locais de culto são as quedas de água de Kalundula, em Malange; a imponente Serra da Leba, no Lubango; as quedas do Binga e a estrada do Waku Kungo. Para ficar a dormir tanto gosta do conforto do Hotel Regina, em Malange, como de locais mais exóticos tais como o lodge no Lubango de Faiel Loureiro — um ex- -campeão angolano de tiro aos pratos — como o improvável hotel, encastrado nas grutas, em pleno deserto do Namibe: o lodge Omahua, de Álvaro Batista.


AS GENTES DE ANGOLA

Mais importante do que as paisagens são as gentes. Mário é um excelente conhecedor dos povos do interior, da sua história, usos e costumes. Tem amigos em todo o lado. Gosta particularmente de se relacionar com os mukubais (do deserto), os muhilas (do Lubango) e os himbas (do Cunene). Fala fluentemente inglês, francês, espanhol, e razoavelmente o umbundo e o kimbundo.

É igualmente um entusiasta da botânica. Na sua propriedade rústica, junto do contentor improvisado que lhe serve de casa, em Benfica, cultiva plantas de várias proveniências. Os exemplares de welwitshia mirabilis, a extraordinária espécie que só existe no deserto do Namibe, é o seu cartão de visita.

Ao lado “mora” a frota de  automóveis todo-o-terreno e uma grandiosa tenda que o abriga do calor. Em tal cenário, onde pontificam os tons verde-tropa e os utensílios de aventura, Mário Pinto parece um autêntico “Indiana Jones” dos tempos modernos.

SEMPRE DE MALAS FEITAS

Mário fez a escola no Lubango até 1969. O pai era funcionário aduaneiro o que obrigava a mudanças frequentes. Viveu em Luanda de 1969 a 1973. Depois foi para Porto Amboím, onde viveu até à independência.

Foi para Portugal em 1975, um ano depois da “revolução dos cravos”, para completar o antigo 7.º ano. Depois trabalhou num firma inglesa de máquinas industriais mas as viagens de aventura estavam-lhe no sangue.

Foi de moto até Marrocos. Viajou pela Europa, à boleia, durante dois anos, trabalhando nas vindimas e em estâncias de ski para sobreviver. O destino quis que, no meio de uma viagem pelo Médio Oriente, fosse trabalhar para um kibutz (comunidade agrícola) em Israel, em pleno deserto do Neguev, onde aprendeu muito sobre técnicas de irrigação e algumas palavras de hebreu. Curiosamente passou muito frio no deserto dado que era Inverno.

A ideia era ir até à Austrália. Mas foi parado antes de entrar na fronteira inglesa e acabou por regressar a Portugal. Daí, em 1983, decidiu não tardar mais o regresso à terra natal.

Por cá trabalhou no negócio das máquinas industriais na Robert Hudson. Depois foi para a Lusolanda que representava em Angola a célebre marca americana John Deer. Até que rumou para as plataformas de petróleo da Global Marine no Soyo.

“Recordo que trabalhava 11 horas por dia — 28 dias no mar e 28 dias em terra”. Era nesses períodos de folga que dava vazão á sua paixão pelo todo-o-terreno onde ficou a conhecer a Angola profunda. “Lembro-me que, nessa altura, em Porto Amboim, se trocava um boi, ou um bilhete de avião, por uma grade de cerveja”, recorda.

De 1985 a 1986 esteve ainda em Cabinda, na base da Schlumberger, no Malongo, onde dava assistência aos aviões da companhia.

PARCERIA COM PAUL WESSON

A sua vida mudou quando conheceu Paul Wesson, um inglês radicado em Angola desde os anos 80. Paul era director comercial da União e um experiente condutor de Land Rovers que, entre outras provas, chegou a fazer o Atlas Marrocos. Numa das viagens da dupla, em plena praia da Caotinha (em Benguela) famosa pelas suas águas cristalinas, os dois tiveram a clarividência de criar uma empresa dedicada ao turismo de aventura. A Ecotur nasceu em 2004. Mário conhecia o território como ninguém. Paul era o especialista em todo-o- -terreno. “Pareceu-nos que fazia sentido, em época de paz, que o turismo interno se fosse desenvolver”, justifica.

Não obstante o sucesso da Ecotur, Mário Pinto mantém o emprego na Schlumberger, empresa global que presta assistência técnica às petrolíferas . Quando chegar à reforma, ambiciona dedicar-se às viagens de aventura a tempo inteiro.

Posted by Toke

Pensar e Falar Angola

Noticias no Google sobre Angola


Angola/Rússia: Satélite angolano lançado até 2012 com ...
Expresso - Porto,Portugal
Luanda, 26 Jun (Lusa) - Angola vai ter um satélite de telecomunicações dentro de dois a três anos, o Angosat, financiando em 295 milhões de dólares (209 ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola e Rússia assinam contrato de construção do satélite AngoSat
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – Angola e Rússia assinaram hoje (sexta-feira), em Luanda, um contrato para construção, lançamento e operação do satélite angolano de ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Volume de negócios entre Angola e Áustria ainda está abaixo do ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - O secretário geral do consulado da Áustria em Angola, Stefan Schmidt-Hayashi, disse hoje (sexta-feira), em Luanda, que o volume de negócios entre ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
AngolaPress
Iniciou sessão de abertura das conversações oficiais Angola/Rússia
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - A sessão de abertura das conversações oficiais Angola/Rússia tiveram já o seu inicio no Palácio Presidencial, à cidade alta, em Luanda, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Embaixador apela empresários twsaneses a investir em Angola
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Gaberone – O embaixador de Angola no Botswana, José Agostinho Neto, apelou quinta-feira aos empresários tswaneses a aproveitarem o grande potencial ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Media Nova lança revista Exame em Angola
Diário Digital - Lisboa,Portugal
O grupo angolano Media Nova vai lançar em Setembro a revista de economia Exame naquele país, estando ainda a preparar o lançamento do Semanário Económico e ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Rússia: Dimitri Medvedev em Angola
Correio da Manhã - Lisboa,Lisboa,Portugal
O presidente da Rússia, Dimitri Medvedev chega esta sexta-feira a Luanda, em Angola, onde estará apenas algumas horas com o objectivo de assinar vários ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Angola e Rússia poderão tirar grandes vantagens de maior aproximação
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda - Uma maior aproximação, nos domínios político, económico, social e científico-cultural, entre Angola ea Federação Russa só pode ser vantajosa ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Jogo entre Amigos de Didier Drogba e Selecção Angolana acontece em ...
AngolaPress - Angop,Luanda,Angola
Luanda – O jogo entre "Amigos de Drogba" ea Selecção Nacional angolana, que prepara o CAN em Janeiro de 2010 no país, será disputado no mês de Dezembro, ...
Veja todos os artigos sobre este tópico
Estrelando
Internacional: Grazi e Cauã são recebidos na Angola
Estrelando - São Paulo,SP,Brazil
Entre os casais globais mais badalados do momento, Grazi Massafera e Cauã Reymond viajaram na última semana para Angola, como ESTRELANDO já tinha te contado ...
Veja todos os artigos sobre este tópico

Planeta Voluntários - Por um mundo melhor!

com pedido de publicação, tratando-se duma ONG especificamente brasileira mas abordando um tema que interessa a todo o planeta terra, optei por publicá-lo:

Planeta Voluntários - Por um mundo melhor!

"Ninguém comete erro maior do que não fazer nada porque só podia fazer pouco."

Relatórios da miséria, fome, violência, desmatamento no planeta.

Fome:

Todos os dias, mais de 850 milhões de pessoas vão se deitar com fome; dentre elas, 300 milhões são crianças. A cada cinco segundos, uma delas morre de fome.

Todo ano no Planeta, morrem de fome cerca de 30 milhões de pessoas.

Pobreza:

Entre 55 e 90 milhões de pessoas passarão à condição de pobreza extrema ainda neste ano de 2009, devido à recessão mundial resultante da crise financeira internacional.Mais de 1 Bilhão sofrerá de fome crônica no mundo todo.

Segundo pesquisas, 53,9 milhões de brasileiros são pobres; isso significa que quatro em cada dez brasileiros vivem em miséria absoluta. Entre as 130 Nações que medem a distribuição de renda, o Brasil é o penúltimo colocado; só ganha de Serra Leoa.equivale a 31,7% da população. 21,9 milhões dessa população são muito pobres, ou 12,9% dos brasileiros.

Água Potável:

Globalmente, ao longo das últimas décadas, a quantidade de água potável disponível tem diminuído dramaticamente.

Há 1,6 bilhão de Km³ de água no mundo, mas, o que podemos beber é menos de 1% disso...

A poluição das águas mata hoje 2,2 milhões de pessoas por ano; mais de 75 % da reserva mundial de peixes é sobre-explorada;

E o aumento no nível dos oceanos causado pelo aquecimento global pode deslocar dezenas de milhões de pessoas.

Em 20 anos, mais de 60% da população mundial sofrerão com a escassez de água. Também segundo a ONU, na atualidade, mais de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso a água tratada.

Saneamento:

Quatro em cada 10 pessoas no mundo não têm acesso nem a uma simples latrina de fossa não asséptica, e são obrigadas a defecar a céu aberto.

Aproximadamente 2 em cada 10 pessoas – mais de 1 bilhão de pessoas – não têm nenhuma fonte de água potável segura.

80% das internações hospitalares no mundo são devidas a doenças transmitidas pela água.

Como consequência, 3.900 crianças morrem diariamente em razão desta crise humanitária, totalmente evitável, porém silenciosa.

Habitação:

Atualmente, 900 milhões de pessoas vivem em assentamentos precários (favelas e áreas de risco) em todo o mundo.

A menos que a situação mude substancialmente, 1,5 bilhão de moradores de zonas urbanas serão favelados em 2020,o equivalente à população da China.

O Brasil terá 55 milhões de favelados,o que seria equivalente a 25% da população do país.

Atualmente, quase 1 bilhão de pessoas – um sexto da população mundial – vivem em favelas.

Educação:

O Brasil tem atualmente cerca de 16 milhões de analfabetos, e metade desse número está concentrada em menos de 10% dos municípios do país.

O planeta ainda conta com 780 milhões de analfabetos.

No Brasil existem 16,295 milhões de pessoas incapazes de ler e escrever pelo menos um bilhete simples.

Levando-se em conta o conceito de "analfabeto funcional", que inclui as pessoas com menos de quatro séries de estudo concluídas, o número salta para 33 milhões.

Aids:

No ano passado a Aids matou 3 milhões de pessoas, e outros 4,1 milhões foram infectados - mais de 8.000 por dia, e a doença hoje infecta 40 milhões, dos quais 25 milhões vivem no continente africano. Além disso, a epidemia deixou órfãos 15 milhões de crianças,

Mais de 500 mil crianças nasceram com o HIV, o vírus causador da Aids, no ano passado.

Entre elas, cerca de 20 mil crianças brasileiras.

O número de mulheres infectadas com vírus HIV aumentou em 44% no país nos últimos dez anos.

O uso de seringas contaminadas mata 1,3 milhão de pessoas por ano no mundo todo.

Somente no Brasil existe atualmente mais de meio milhão de pessoas contaminadas com o vírus da AIDS, mas elas não sabem disso.

Violência

Segundo a UNESCO, de 60 países analisados, em apenas 06 o número de homicídios é superior ao número de mortes por acidentes de trânsito.Dentre esses está o Brasil e mais três países da América Latina. Em 49 desses países, o número de suicídios é superior ao número de homicídios; dentre as exceções está o Brasil e mais sete países da América Latina. A América Latina é a região onde mais ocorrem homicídios no planeta: 30 mortes para cada grupo de 100.000 pessoas ao ano, o triplo da média mundial.

Da população mundial, o Brasil responde por 11% de todos os homicídios do planeta. É o 2º país que mais mata utilizando armas de fogo, 3º em homicídios contra jovens e 4º colocado em homicídios no geral. O Brasil é o 3º mais violento da América Latina, perdendo somente para a Colômbia e Venezuela.

Aborto:

Estima-se que são feitos 42 milhões de abortos a cada ano em todo o Planeta, e, desses, 20 milhões são ilegais ou executados clandestinamente. Segundo a OMS, abortos inseguros causam por volta de 65.000 a 70.000 mortes maternas a cada ano(1), 99% das quais ocorrendo nos países em desenvolvimento(2).

No Brasil a cada minuto, quase dois abortos clandestinos são realizados . O número é uma estimativa baseada nas internações pós-aborto pelo SUS e aponta que, desde 1999, cerca de 952 mil mulheres interromperam a gravidez por ano no país.

Desmatamento:

Dados divulgados indicam que a Floresta Amazônica perdeu 754,3 quilômetros quadrados de florestas entre novembro de 2008 e janeiro de 2009. A área equivale a metade do município de São Paulo.

O país perdeu um campo de futebol a cada dez minutos na Amazônia, nos últimos 20 anos.

O Brasil é campeão mundial de desmatamento. Em segundo lugar está a Indonésia: 18,7 km2 por ano e, em terceiro, segue o Sudão, com 5,9 km2. As principais causas pelo desmatamento na Amazônia são a retirada de madeira, o cultivo de soja e gado.

Nós, do Planeta Voluntários, convidamos você a servir e a apoiar os outros com devoção e compaixão. Começando com a nossa própria transformação pessoal e, mediante serviço, por fazer a diferença, é a forma como nós acreditamos que vamos chegar a essa massa crítica de pessoas que, juntas, emerge como a nova humanidade.

Serviço altruísta surge espontaneamente a partir de apenas compreendendo que somos uma humanidade. Talvez você possa escolher as atividades que podem de alguma forma contribuir para o bem estar dos outros em sua comunidade. Isso poderia ser empenho pessoal voluntariado como ajudar uma pessoa idosa, um orfanato, um abrigo, um hospital, entre outros.

Os valores e os princípios do movimento emergente para uma nova humanidade, e da Aliança, que está a tentar servi-lo, se baseiam no apoio de políticas, as causas e as ações que favoreçam o respeito pela vida, dignidade humana, a liberdade, a sustentabilidade ecológica e a paz.

Faça todo o bem que puder

Por todos os meios que puder

De todas as maneiras que puder.

Em todos os lugares que puder

Todas as horas que puder

Para todas as pessoas que puder

Enquanto você puder.

Faça a Diferença.

Por Marcio Demari

PLANETA VOLUNTÁRIOS

Porque ajudar faz bem !

http://www.planetavoluntarios.com.br

A maior Rede Social de Voluntários e ONGs do Brasil !!!



Pensar e Falar Angola

Nuvem

Angola na Imprensa (1772) música (399) jornais (325) Ágora (247) livros (231) F.Pereira (221) Historia de Angola (220) pintura (210) opinião (206) cultura (189) Luanda (116) desporto (114) fotografia (104) Território (74) literatura (73) africa (64) vídeo (64) culinária (60) Angola (55) Saúde (55) arte (55) escritores (55) reconstrução (54) Fauna (52) arquitectura (52) humor (51) personalidades (50) reciclagem (50) partidos políticos (49) turismo (49) Namibe (48) CAN2010 (47) futebol (46) energia (44) Luis Sá Silva (43) publicidade (43) Filatelia (42) Gastronomia Angola (42) Poesia (42) Cinema (41) economia (41) automobilismo (40) fotos (40) LAC (39) gastronomia angolana (37) sociologia (37) musica (36) Luanda Antena Comercial (35) POLITICA (34) valdemaribeiro (34) eleições (33) ensaios (32) Construção (31) visitando blogues (29) 95.5 (28) Elinga Teatro (28) informação (27) Girabola (26) eleições 2012 (26) Podcast (25) Lubango (24) automóveis (24) blogs (24) dança (24) teatro (24) Companhia de Dança Contemporânea de Angola (23) política (23) basquetebol (22) bonecas (22) futebol angolano (22) imprensa (22) rádio (22) CDC (21) cronicas . ensaios (21) sabores (21) Angola em fotos (20) Natal (20) Ondjaki (20) educação (19) notícias (19) eventos (18) frutas (18) Huambo (17) artesanato (17) cronicas (17) Benguela (16) GP3 (16) debate político (16) festas (16) Cozinha Angolana (15) Independência (15) Lobito (15) Parques Naturais (15) Presidente José Eduardo dos Santos (15) Sala de Música (15) curiosidades (15) receitas (15) Agostinho Neto (14) CASA-CE (14) EDUCAÇAO (14) entrevista (14) fotos antigas (14) Bloco Democrático (13) Companhaia de Dança (13) Rui Ramos (13) animais de Angola (13) 4 de Fevereiro (12) Angola descrita (12) Angola-Brasil (12) F.Quelhas (12) José Mena Abrantes (12) Solidariedade (12) comércio (12) memória (12) texto de leitor (12) viagens (12) áudio (12) Afrikya (11) Cabinda (11) Huila (11) José Rodrigues (11) Rádios Angolanas (11) agenda cultural (11) ambiente (11) ciência (11) escravatura (11) flora (11) kuduro (11) pessoas (11) 27 de Maio (10) Comentário (10) Jazz (10) Paulo Flores (10) Ruy Duarte de Carvalho (10) afrobasket (10) aniversário (10) escultura (10) estórias (10) exposição (10) futuro (10) geografia (10) malária (10) população (10) postais (10) povos (10) prémios (10) taag (10) unita (10) Huíla (9) Mateus Gonçalves (9) Palancas Negras (9) cplp (9) paludismo (9) pobreza (9) CAN2008 (8) Café da Manhã (8) Carnaval (8) Jorge António (8) Marcolino Moco (8) Pepetela (8) SOCIOLOGIA POLÍTICA (8) Sérgio Conceição (8) baía de Luanda (8) comboio (8) feriados (8) gentes (8) património (8) selecção de Angola (8) transporte (8) viagens no tempo (8) Festas do Mar (7) João Melo (7) Luandino Vieira (7) Malange (7) O País (7) Rui Mingas (7) SIDA (7) efemérides (7) ensino (7) falecimento (7) festival de teatro (7) heróis (7) percussão (7) Abel Chivukuvuku (6) Bom Dia - Bom dia (6) CAN2012 (6) Hóquei (6) Luisa Fançony (6) MPLA (6) ajuda (6) andebol (6) campanha eleitoral (6) chuva (6) colecção cartazes (6) filme (6) moda (6) sociedade (6) 25 de Abril (5) 4ª Conferência sobre Mulher e Desporto (5) Cartoon (5) Chá de Caxinde (5) Eleições em Notícia (5) FILDA (5) Luena (5) Mário Pinto de Andrade (5) Nelson Mandela (5) antiguidades (5) caminhos de ferro (5) contos (5) convite (5) crianças (5) cultos (5) desenho (5) dia de África (5) diversão (5) documentos (5) estradas (5) liberdade (5) lusofonia (5) moeda (5) o nosso Povo (5) petróleo (5) televisão (5) valdemar ribeiro (5) A Escola da Música (4) A Guerra (4) ADRA (4) Adams Kiluanji Smiths (4) Ana Clara Guerra Marques (4) André Mingas (4) Brasil (4) CFB (4) Capas de singles angolanos (4) Comemorações da Independência de Angola (4) Constituição (4) Diplomáticos (4) Duo Ouro Negro (4) Elias Dya Kimwezo (4) Expo 2010 (4) Fundação Sindika Dokolo (4) IIº Festival Internacional de Teatro e Artes (4) Jornal de Angola (4) Mulheres de Angola (4) N'gola Ritmos (4) Okutiuka (4) Ouvir Angola (4) Paulo Jorge (4) Pensar e Falar Angola (4) Raul do Rosário (4) Saurimo (4) Sónia Ferreira (4) Trincheira Firme (4) agricultura (4) arquitectura popular (4) colares (4) corrupção (4) desportos (4) ecologia (4) etnografia (4) hoquei em Patins (4) internet (4) media (4) medicina (4) tradição (4) urbanismo (4) África (4) Ana Paula Tavares (3) António Jacinto (3) Baía dos Tigres (3) Caminhos de Ferro de Moçâmedes (3) Casa de Angola (3) Catumbela (3) Cuito Cuanavale (3) Denudado (3) Dia Mundial da Dança (3) Dia da Mulher (3) Dia do Herói Nacional (3) Ernesto Lara Filho (3) Filipe Mukenga (3) Homenagem (3) INFRAESTRUTURAS (3) Interclube (3) Investimentos (3) Jogos Olímpicos (3) Jorge Kalukembe (3) José Eduardo Agualusa (3) Justino Pinto de Andrade (3) Kudijimbe (3) Lino Damião (3) Manifesto (3) Manuel Victória Pereira (3) Mosquito (3) Mundial de Hóquei (3) Mário Tendinha (3) Patrício Batsîkama (3) Paulo Araujo (3) Pedroto (3) Prémio Maboque (3) Pérolas (3) Ricardo Teixeira (3) Rock Angolano (3) Teta Lando (3) Universidade (3) Yuri da Cunha (3) adivinhas (3) autores (3) candomblé (3) cidadania (3) coleccionismo (3) comunicação (3) conhecimento (3) conselhos (3) curso (3) david oliveira (3) democracia (3) deputados (3) desastre (3) desenvolvimento (3) design textil (3) dia da Independência (3) e-mail (3) elinga (3) empreendorismo (3) empresa (3) engenharia (3) estatística (3) estudantes (3) exportação (3) formação (3) globalização (3) governo (3) história natural (3) ideias (3) imobiliário (3) indústria (3) jornalismo (3) kuanza-Sul (3) legislação (3) lingua portuguesa (3) linguas (3) livro (3) mel gambôa (3) negritude (3) poesia lusófona (3) polícia (3) rios (3) trabalho (3) ||| Trienal de Luanda (3) 11 de Novembro (2) 1º de Maio (2) 3º ano (2) A Matéria do Tempo (2) Agostinho André Mendes de Carvalho (2) Agualusa (2) Andulo (2) Angola no Afrobasket2013 (2) António Ole (2) Arlindo Barbeitos (2) Assembleia Nacional (2) BD (2) Beatriz Salucombo (2) Belita Palma (2) Bonga (2) Bonga Kwenda (2) CHAN (2) CUBE RECORDS (2) Café Negro (2) Cambambe (2) Campeonato do Mundo de Hóquei (2) Cangandala (2) Caála (2) Comissão Nacional Eleitoral (2) Correia Adão (2) Cuca (2) DTA (2) Divagações (2) Dog (2) Dog Murras (2) Don Sebas (2) Elinga Bar (2) Encontro (2) Estudos Angolanos (2) Estúdio de Actores (2) FAO (2) FBaião (2) FIC (2) FLEC (2) Festival Internacional de Jazz (2) Festival Internacional de Rock do Huambo (2) Festival de Cinema (2) Filipe Zau (2) Formula 3 (2) Fortaleza de Luanda (2) Fotografias (2) Fotografias de Angola (2) Francisco Vidal (2) Gustavo Costa (2) Helena Justino (2) Helena Magalhães (2) Hospital Pediátrico David Bernardino (2) Isabel dos Santos (2) Januário Jano (2) João Arrmando (2) João Baptista Vieira Lopes (2) Kilamba (2) Kuanza (2) Kwanza Norte (2) Leba (2) Lev'Arte (2) Luís Damião (2) Lúcio Lara (2) Mampuya (2) Mangovo (2) Manifestações (2) Manuel Rui (2) Manuel Ruy Monteiro (2) Margarida Paredes (2) Mbanza Congo (2) Mia Couto (2) Micaela Reis (2) MinhaAngola (2) Monza (2) Mucuio (2) Museu de História Natural (2) Nara (2) Nelo Teixeira (2) Neves e Sousa (2) O Blog Realmente Aberto (2) Online (2) Palácio de Ferro (2) Papa Bento XVI (2) Paulo Jazz (2) Paulo de Carvalho (2) Pedras Negras (2) Prémio Nacional da Cultura (2) Reacreativo do Libolo (2) Recordações (2) Reginaldo Silva (2) René Pélissier (2) Roderick Nehone (2) Rosa Coutinho (2) Rádio Ecclesia (2) SIEXPO (2) Sabby (2) Salvador Correia (2) Samakuva (2) Sambizanga (2) Savimbi (2) Sonangol (2) Sumbe (2) TPA Internacional (2) Tchokwé (2) Terra (2) Tio Liceu (2) Togo (2) Tonspi (2) Uíge (2) Valdemar Bastos (2) Viriato da Cruz (2) Visita de Estado (2) Viteix (2) Yaru Cândido (2) advogados (2) alimentação (2) angolanidade (2) antropologia (2) artes plásticas (2) aviação (2) bebidas (2) biodiversidade (2) ciclismo (2) cidades (2) colóquios (2) contestação (2) direitos e deveres (2) divulgação (2) educ'arte (2) escola (2) espectaculo (2) feira (2) fim de ano (2) fome (2) governação (2) herois (2) hino (2) instrumentos (2) kimalanga (2) kizomba (2) legislativas (2) leis (2) marginal (2) negócios (2) pensamentos (2) pesca (2) provérbio (2) racismo (2) religião (2) reportagem (2) resultados eleitorais (2) revistas (2) toponimia (2) transporte aéreo (2) trânsito (2) vias de comunicação (2) vistos (2) Álvaro Macieira (2) óbitos (2)  Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) "O Ocaso dos Pirilampos". (1) 04 de Abril (1) 1 de Maio (1) 15 de Março (1) 1º de Agosto (1) 2006 (1) 2008 (1) 2011 (1) 2012 (1) 2014 (1) 95 (1) A Poesia Angolana noa Caminho Doloroso da História (1) A Orfã do Rei (1) A Safra (1) ANGOLATELECOM (1) Acordos Luso-Angolanos (1) Acordos de Paz de Bicesse (1) Actores (1) Acácio Barradas (1) Adolfo Maria (1) Adriano B. de Vasconcelos (1) Adriano Botelho de Vasconcelos (1) Adriano Mixinge (1) Adriano Sebastião (1) Aeroporto Internacional de Luanda (1) Afrologia (1) Alda Lara (1) Alda do Espírito Santo (1) Alfabetização (1) Aline Frazão (1) Allende (1) Ana Dias Lourenço (1) Ana Paula dos Santos (1) Angola 74 (1) Angola Avante (1) Angola Rural (1) Angola e NBA (1) Angolares (1) Animação (1) António Kassoma (1) António Magina (1) António dos Santos (1) Anália de Victória Pereira (1) Apartheid (1) Apostolado (1) Artur Nunes (1) Assassinato (1) Associação 25 de Abril (1) Associação Kalu (1) Autódromo (1) Bahia (1) Baixa de Cassange (1) Banda (1) Banda Desenhada (1) Banda Maravilha (1) Before Crush (1) Benfica (1) Bienal (1) Bilhete de Identidade (1) Bimbe (1) Bié (1) Black Soul (1) Boas Fertas (1) Bruno M (1) COI (1) COSISA (1) CPJ (1) CRONICAS ENSAIOS (1) Cabo Ledo (1) Caleidoscópio (1) Calos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Cangola (1) Caotinha (1) Carlos Alberto Mac-Mahon de Vitoria Pereira (1) Carlos Ferreira (1) Carlos Ferreirinha (1) Carlos Morais (1) Carteira do Artista (1) Casa 70 (1) Casa do Gaiato (1) Casa do Gaiato de Benguela (1) Cavaqueira no Poste (1) Cesaire (1) Cesária Évora (1) Chia KMK (1) Chibia (1) Chiwale (1) Cinema Atlântico (1) Comité Olímpico (1) Companhia de Teatro Dadaísmo (1) Companhia de Teatro Gente (1) Concurso literário (1) Congresso (1) Cooperação Luso Angolana (1) Corte-Real Pereira (1) Costa Andrade (1) Cuba (1) Cubal (1) Cunene (1) Cónego Manuel das Neves (1) DNIC (1) Dalila Cabrita (1) David Zé (1) Death Metal Angola (1) Demósthenes (1) Dharmasena Pathiraja (1) Dharmasena Pathirajad (1) Dia da Mulher Africana (1) Dia de Camões (1) Dia internacional da Criança (1) Direitos Humanos (1) Direitos de autor (1) Discurso do Presidente Agostinho Neto (1) Dondo (1) Doutoramento (1) Drepanocitose (1) Duarte Ferreira (1) EXPO 2012 (1) Edgardo Xavier (1) Edite Soeiro (1) Eiffel (1) Embaixada de Angola em Portugal (1) Embaixador (1) Eng. Fernando Falcão (1) Espaço SIEXPO (1) Estórias de Angola (1) Etel Ferrão (1) Eugénio Costa Almeida (1) ExameAngola (1) Expo 2008 (1) FAA (1) FC Bravos do Maquis (1) FIL (1) FNLA (1) Fernando Baião (1) Fernando Laidley (1) Fernando Pacheco (1) Fernando Tavares Pimenta (1) Festival da Canção (1) Filhos da Pátria (1) Flávio Ferrão (1) Ford (1) Forum Angolanao (1) Força aérea (1) Fragata de Morais (1) Francisco Costa Andrade (1) Frases (1) Frei João Domingos (1) Frutos de Angola (1) Fundo de Solidariedade Lwini (1) Fátima Roque (1) Gabela (1) Gana (1) Gari Sinedima (1) Gastronomia Angolana (1) General Pakas (1) Graciano António Manuel Kalukango (1) Granito (1) Grupo Lareira (1) Grupo Pitabel (1) Grupo de Reflexão da Sociedade Civil de Angola (1) Guiné-Bissau (1) Gustave (1) Gustavo da Conceição (1) Gás (1) H (1) Helder Mendes (1) Henrique Artes (1) Herberto Helder (1) Hinos partidários (1) Holden Roberto (1) INESAAODH (1) INOVAR (1) Icolo e Bengo (1) Imbondeiro (1) Inocência Mata (1) Inscrições (1) Iraldo (1) Irina Vasconcelos (1) Isaura Maria da Conceição Epanda (1) Ismael Mateus (1) J.M.Coetzee (1) Jacinto Lemos (1) Jandira Sassingui (1) Jeremy Xido (1) Jerónimo Belo (1) Joaquim Furtado (1) Jodi Burch (1) Jomo Fortunato (1) Jonh Bela (1) Jordi Galcerán (1) Jorge De Palma (1) José Chaves (1) José Luis Mendonça (1) José Marcos Mavungo (1) José Maria Chaves (1) José Redinha (1) João Jorge Xavier (1) João Kassinda (1) João Soares (1) Kalandula (1) Kalumba (1) Kambumbe Lodje (1) Kandjila (1) Kaparandanda (1) Kate Hama (1) Kifangondo (1) Kiluanji Kia Henda (1) Kinaxixe (1) Kito Kimbenze (1) KuBass (1) Kuduro International Conference (1) Kwanza (1) LODGE (1) Lambarena (1) Levy César Marcelino (1) Lilly Tchiumba (1) Lito Vidigal (1) Loanda (1) Luanary (1) Luanda Maputo (1) Luciano António (1) Lucira (1) Lugares (1) Luis Fernando (1) Luis Rosa Lopes (1) Lulendo (1) Lunda (1) Luz Veio (1) Luís Fernando (1) M'pty Head (1) MOVICEL (1) Maianga (1) Mano a Mano Produções (1) Manucho (1) Manuel Agostinho Salvador Ribeiro (1) Manuel Ennes Ferreira (1) Mara Dalva (1) Mara Manuela Cristina Ananaz (1) Maria Esperança Pascoal (1) Maria Mambo Café (1) Maria Rita (1) Massalo (1) Matála (1) Mayamba Editora (1) Memória de uma alcoólica (1) Menha Ma Zumbi (1) Menongue (1) Mestre Humberto (1) Miguel Anacoreta Correia (1) Miguel Barros (1) Miguel Zenón Quartet (1) Ministros de Angola (1) Miss Angola 2007 (1) Miss Mundo (1) Miss World (1) Monami (1) Morro Maluco (1) Morro da Luz (1) Morro da Maianga (1) Movimento Estudantil Angolano (1) Movimento X (1) Moçambique (1) Muanamosi Matumona (1) Mucubais (1) Mulher Desporto África 2008 (1) Murras (1) Museu Nacional de História Natural (1) Musongué da Tradição (1) Mutamba (1) Mário Guerra (1) MárioPalma (1) NASCAR (1) NEBLINA (1) Nastio (1) Ngolamirrors (1) Nito Alves (1) Njinga Rainha de Angola (1) Nossangola (1) Nzila (1) Nástio (1) Nástio Mosquito (1) O Moringue (1) O Método de Groholm (1) O Preço do Fato (1) O Rock Lalimwe Eteke Ifa (1) O Submarino Angolano (1) ONG (1) ONU (1) Orfanato (1) Orlando Sérgio (1) Ortopedia (1) Os Lambas (1) Ottoniela Bezerra (1) PENSAMENTO (1) PTNETangola (1) Pangueia Editora (1) Parlamento (1) Pauko Flores . música (1) Paulo Araújo (1) Paulo Capela (1) Paulo Kussy (1) Pedrito do Bié (1) Pedro Pinote (1) Petro (1) Photosynth (1) Processo dos 50 (1) Projecto Perpetuar (1) Prémio José Saramago (1) Quarta-feira (1) Quimbele (1) Quitexe (1) RNA (1) Rafael Marques (1) Raid Cacimbo (1) Raid TT (1) Rainha Ginga (1) Rainha Nzinga (1) Raul David (1) Recreativo da Caála (1) Ricardo Abreu (1) Rio Kuanza (1) Ritmo e Cultura (1) Robert Hudson (1) Roberto Ivens (1) Rocha Pinto (1) Rodrigues Vaz (1) Romi Anauel (1) Ruca Van-Dúnem (1) Rui Almeida (1) Rui Costa (1) Rui Monteiro (1) Rui Tavares (1) Ryszard Kapuscinski (1) Rádio Luanda (1) S.Tomé e Príncipe (1) SISTEC (1) Samba (1) Santocas (1) Sexta-feira (1) Silerstone (1) Silverstone (1) Simão Toco (1) Sita Valles (1) Slide de fotografias (1) Soyo (1) Suzana Inglês (1) Sérgio Guerra (1) Sérgio Mabombo (1) TEDxLuanda (1) Taekwondo (1) Tantã Cultural (1) Tchivinguiro (1) Terra dos Sonhos (1) Toke (1) Tomaz Jorge (1) Toty Semedo (1) Traumatologia (1) Tribunal de Contas (1) Trienal de Luanda (1) Tv (1) TvZimbo (1) Té Macedo (1) Tômbwa (1) UEA (1) UNITEL (1) União de Escritores Angolanos (1) Urbano de Castro (1) VIH/SIDA (1) VUM-VUM KAMUSASADI (1) Victor Gama (1) Vítor Burity da Silva (1) Waldemar Bastos (1) Welwitschia Mirabilis (1) Wilker Flores (1) Xadrez (1) Xá de Caxinde (1) Yonamine Miguel (1) You Failed... Now We Rule!!! A Nossa Vez!!! (1) Zeca Moreno (1) Zé Pestana Namibe Angola em fotos (1) abacate (1) acidentes (1) acordo ortográfico (1) agradecimento (1) alambamento (1) alfandega (1) angolano lá fora (1) antologia poetica (1) anuncio (1) anúncio (1) arbitrariedade (1) baleia (1) bancos (1) bandeira (1) barack obama (1) baía (1) biblioteca (1) bicicleta (1) borboletas (1) brancos (1) cacusso (1) capacitação (1) carta aberta (1) casamento (1) cerâmica (1) cine art angola (1) clima (1) cogumelos (1) combustível (1) comemorações (1) comunidades (1) concertos musicais (1) concurso fotografia (1) contador (1) contrafacção (1) convívio (1) cooperação desportiva (1) crónicas (1) cursos (1) desalojados (1) desarmamento (1) descolonização (1) desgraça (1) design grafico (1) desporto paralímpico (1) dia do pai (1) dimantes (1) dinheiro (1) doclisboa 2012 (1) doença do sono (1) dvd (1) e--books (1) emprego (1) encontro mulheres angolana (1) escr (1) estorieta (1) explicação (1) expressão dramática (1) f (1) facebook (1) famílias (1) feira do Livro (1) feminismo (1) feministas (1) ficção (1) fiscalidade (1) floresta (1) fm (1) fábulas (1) férias (1) gora (1) graffiti (1) hobby (1) humor angolano (1) idolos (1) igreja (1) iniciativa (1) intercâmbio (1) interrupção (1) investigação (1) jindungo (1) jo (1) justiça (1) juventude (1) kalulu (1) kamussekele (1) kassekele (1) kimbos (1) kit surf em Angola (1) leitura (1) lendas (1) luto (1) línguas nacionais (1) militares (1) minas (1) minas de prata (1) miss Universo (1) modernização (1) mosca tsé-tsé (1) motas (1) muamba (1) música. fotos antigas (1) narrativa (1) natação (1) nação negra (1) negros (1) néo-liberalismo (1) o mundo (1) off-road (1) parabens (1) passados. estórias (1) passatempo (1) pecuária (1) pensar (1) perdidos e achados (1) piri-piri (1) poe (1) porto de Luanda (1) povo (1) primeira-dama de Angola (1) prisões (1) prédio Cuca (1) qualificação das pessoas (1) ra (1) raça (1) recuperação (1) refugiados (1) registo eleitoral (1) renovação (1) repatriamento (1) restaurantes (1) san (1) segurança (1) sem etiqueta (1) seminário (1) soberania (1) surf em Angola (1) taxis (1) telecomunicações (1) todo o terreno (1) tragedia (1) tripanossomíase (1) turtulhos (1) twitter (1) técnica (1) um livro. solidariedade (1) valdemar F. Ribeiro (1) vfr (1) vigarices (1) violência (1) voz (1) youTube (1) «ANGOLA: A TERCEIRA ALTERNATIVA» (1) Álvaro Ascenso (1) Álvaro Mateus (1) Óscar Ribas (1) ética (1) ídolos (1)