Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2009

Kalemba (Wegue Wegue) - Rewatered by Rasos/Flashed by Toke, over a Buraka Som Sistema original

Imagem
Video: Luanda Wegue Rasos Buraka

Pensar e Falar Angola

31/05/09 - Afrikya Podcast - LAC

Imagem
Posted by Toke

Afrika symbol II

Imagem
Frédérick Candon


Pensar e Falar Angola

Huambo Rock's

Imagem
Posted by Toke

Ágora (67) - 25 de Abril de 1974

Imagem
Mais vale uma tempestuosa liberdade, que uma tranquila escravidão

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andersen (1919-2004)


Minha querida amiga R.

Lembras-te quando chegámos de Luanda, naquele Outono frio de 197...? Lembras-te certamente, meu amor!
O cinzento das casas, das pessoas, dos polícias, dos governantes, de tudo! Portugal era pintado de névoa!
O nosso pequeno quarto, num 3º andar de um prédio com uma entrada lúgubre, onde uma enfezada passava dias inteiros a apanhar malhas de meias de nylon, num vão de uma escada de madeira carunchosa.
Lembras-te das nossas primeiras aulas e o que por lá acontecia?
Lembras-te da primeira carga policial que apanhámos, só porque resolvemos ir ver onde é que outros colegas nossos iam manifestar-se, sem percebermos bem porquê?
Lembras-te dos comunicados que começámos a distribuir?
Lembras-te das eternas noites de discussão que tín…

agenda cultural

Imagem
Pensar e Falar Angola

o google, não nos da os cheiros [2ª parte]

Imagem
o deserto. "Todo o homem, mulher e criança devia conhecer pelo menos uma vez na vida e descobrir o que significa a palavra silêncio." Ivo Canelas [actor].
o deserto não tem explicação, não tem cheiro, não tem entrada, não tem saída, mas no Namibe, o deserto, tem o mar.
não sei nem quero explicar a sensação de ali estar. a vista nunca acaba e a paisagem parece igual na esquerda e na direita, o sol diz olá e as welwitschias aguentam-se dia e noite como parte inseparável daquele lugar.

sentamo-nos e como crianças que admiram um novo objecto fomos falando da sensação individual que cada um sentia no momento, uns mais eufóricos que os outros, até que veio o por do sol e o cota S. (cabo-verdiano com trinta anos de deserto) disse: calem-se e olhem.












Pensar e Falar Angola

Sábado Musical

Imagem
Pensar e Falar Angola

Tantã Cultural Nº 316

Imagem
Semanário de informação cultural e lúdica.
Boletim Interno.
28 de Maio a 03 de Junho.


Posted by Toke

Pidima Yami -Bela Chicola

Imagem
Pensar e Falar Angola

o google, não nos da os cheiros

Imagem
Angola é um país de difíceis escolhas, seja para que destino for. a falta de informação especializada para aqueles que escolhem o destino de uma viagem nas paginas do google aqui não funciona, e por isso mesmo, partir assim me fascina ainda mais. não ter informação pode ser de alguma forma bom para quem parte.

sabíamos do deserto, das mumuílas, da Serra da Leba, da welwitschia, das acácias e de outras coisas que quase todo mundo sabe, mas e o restante, quem sabe do restante?

4h:30, aeroporto domestico de Luanda com gente que nunca mais acaba; bom porque hoje há varias companhias a voar para o interior do país e mau porque a fila de pessoas para embarcar eram na sua maioria de estrangeiros, talvez porque infelizmente têm os expatriados [detesto a expressão] um poder de compra maior que o nacional, mas isso, sou eu que acho.

na Catumbela, aterramos numa antiga base militar hoje adaptada para receber voos domésticos. o pouco tempo que durou a escala pouco ou nada se via da minha janela, alg…

Exposição fotográfica

Imagem
Ndalatando - Uma exposição fotográfica que retrata a evolução histórica de Ndalatando, sede capital do Kwanza Norte, foi aberta hoje ao público, naquela cidade, no quadro das actividades alusivas às festas da cidade, a assinalar-se a 28 de Maio.
Promovida pela administração municipal do Cazengo, a amostra, denominada "Ndalatando ontem e hoje", reúne cerca de 100 fotografias que retratam as várias etapas da história e do crescimento da cidade. A mesma estará patente ao público até ao próximo dia 31 do corrente. A exposição aberta pela administradora municipal do Cazengo, Edviges de Jesus Ribeiro, foi antecedida de uma cerimónia de ritual tradicional, de invocação às divindades, realizada no morro do Binda (cerca de 20 quilómetros a sul de Ndalatando).
O acto foi presenciado por diversas entidades do governo da província, autoridades tradicionais, convidados e população.
O programa das celebrações circunscreve, entre outras, a realização de actividades recreativas, culturais, …

LUANDA

Imagem
Pensar e Falar Angola

Tantã Cultural Nº 315

Museu da História Natural

Imagem
Joaquina Bento / ANGOP

Pensar e Falar Angola

Luanda mostra-se

Imagem
Pensar e Falar Angola

Pés

Imagem
Kiluanji Kia Henda




Pensar e Falar Angola

Ágora (66) - Imenso Adeus

Imagem
Reeditado, agora pela Asa, de Milan Kundera, “O livro do Riso e do Esquecimento”, lançado em Paris há 30 anos, e segundo o Observer, é um dos cem melhores livros da literatura mundial.
Lembro-me de o ter lido, de ter gostado, mas de facto Kundera não era do meu “clube”, e para mim não era fácil, ao tempo, aceitar que um escritor que tinha abjurado o socialismo da Checoslováquia, escrevesse bem! O seu outro livro, “A Insustentável leveza do ser”, saído em 1984, é uma obra mais trabalhada, imensamente cáustica para com o regime saído da invasão soviética de 1968, e só me caiu no goto, porque estava num processo de rotura com alguns dogmas, talvez porque tinha tido a oportunidade de “ver para descrer”.
Já que se efemeriza, recordo António Machado (1875-1939), escritor sevilhano ,dizia que “há horas que são minutos e outras que são séculos”, foi um dos muitos que sofreu na guerra civil de Espanha, que comemorou no dia 1 de Abril deste ano, setenta anos sobre o seu trágico epílogo. 
A históri…

Caroco quente - Patricia Faria

Imagem
Pensar e Falar Angola

Sábado Musical

Imagem
Pensar e Falar Angola

Predadores

Imagem
Pepetela está entre 50 finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura, com a obra "Predadores".

"Caposso não abriu a boca de assombro, mas admirado ficou. Muitos Portugueses e Angolanos tinham começado a abandonar o país desde o ano passado, quando reconheceram a inevitabilidade da independência. Achavam que o país era deles, se babavam todos com as riquezas reais ou supostas de Angola, a terra do futuro, mas se fossem eles a mandar, não com negros no poder. E a guerra que estoirou entre os movimentos de libertação aumentou o pânico e as filas de embarque. O aeroporto de Luanda tinha virado um hotel de três estrelas negativas, centenas de pessoas dormindo pelo chão dias a fio, à espera dos aviões da ponte aérea, o lixo se acumulando e as paredes enegrecendo de sujo. A terra estava de facto a ferro e fogo."O regresso deste apreciado escritor angolano, com um retrato do novo-riquismo neste país. O olhar atento de quem conhece esta realidade, associando a vertente…

Pólo Industrial do Huambo

Imagem
Pólo Industrial do Huambo com novas fábricas

O ministro da Indústria, Joaquim David, anunciou, ontem, no Huambo, a implantação de 19 fábricas de indústria transformadora no Planalto Central, dentro do programa do Governo Central para o período de 2009 a 2012.
As 19 indústrias transformadoras, disse o ministro, já foram aprovadas pelo Governo, “o que quer dizer que o ministério está de braços abertos para o relançamento de novas indústrias e, ao mesmo tempo, apoiar todos os empresários, nacionais e estrangeiros, que mostrem interesse no arranque do projecto, num curto espaço de tempo”.
O projecto do Huambo prevê a construção de fábricas de tintas e plásticos, cerâmica de barro vermelho, vidro, lâmpadas fluorescentes, cabos eléctricos, carpintaria e transformação de madeira. No Pólo Industrial da Caála vão, também, nascer fábricas de arame farpado, calçado, moagem, equipamentos de rádio e televisão, colchões de molas, impressão gráfica, recauchutagem e metalomecânica.

Fonte: Jornal de An…

«O Salazar Nunca Mais Morre»

Imagem
«O Salazar Nunca Mais Morre» retrata guerra em Angola

«O Salazar Nunca Mais Morre», de Manuel Beça Múrias, já está nas livrarias nacionais. Editado pela Planeta e com prefácio de Joaquim Furtado, o livro oferece ao leitor um retrato lúcido e humano sobre os tempos da guerra colonial em Angola.
A obra tem como estrutura as cartas de Manuel Beça Múrias à sua mulher Maria João. Jornalista, é em Angola como alferes que as palavras surgem, palavras que retratam perplexidade (a descoberta do cenário do conflito), ternura (pela terra africana e pelas suas populações), distanciamento crítico (a consciência política do miliciano), repugnância (pela violência contra as populações civis negras), saudade (pelo que deixou para trás) e amor (pela sua mulher e filhos, que o seguiram à distância para depois se juntarem a ele ainda durante a sua comissão nos anos que passou na guerra entre 1962 e 1964). 

Pensar e Falar Angola

Luanda se mostra

Imagem
Pensar e Falar Angola