A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Okupapala – Encontro Internacional de Artes e Culturas Urbanas

A OMUNGA, associação Angolana de defesa dos direitos humanos, associa-se de forma inédita a diferentes grupos e organizações nacionais e internacionais, respectivamente, a plataforma culturalMu_Seke de Angola/Portugal, o coletivo cultural Potof Prod de França, a TintaPreta Design de Portugal,Minibus Media da Alemanha, Grupo Entrou Por Uma Porta, Rede Latinoamericana de Teatro em Comunidade e a Associação MisturaPura de Italia/Portugal, a co-produzir o 1º Encontro Internacional de Artes e Culturas Urbanas - Okupapala (brincadeira), a partir de 10 de Novembro 2011, coincidente com as comemorações do centenário da cidade do Lobito, e para as quais poderá dar um excelente contributo.

Okupapala
 – Encontro Internacional de Artes e Culturas Urbanas
 – é um encontro socio-cultural que pretende juntar expressões artísticas e culturais de proveniências diversas, com um forte envolvimento das comunidades locais, num intercâmbio vivo, dialogante, criador e potenciador de desenvolvimento(s). 
A rua, as praças e os bairros da cidade do Lobito serão o palco preferencial. Expressões artísticas como o teatro, a música, a poesia, a pintura, a dança, o graffitti, o cinema e o multimédia entram no espaço público dando a este o seu significado pleno, espaço de vivência social e de partilha, partilha do processo criativo e transformador.
Okupapala significa em Umbundo brincadeira. Brincar como descoberta, experimentação, prazer e desenvolvimento. Ao brincar, a criança (mas também o adulto) constrói sua experiência de se relacionar com o mundo de maneira ativa, vivencia experiências, desenvolve autonomia, criatividade e responsabilidade quanto às suas próprias ações. A brincadeira e o jogo do faz-de-conta podem ser considerados como espaços de interacção, de descoberta, de construção de conhecimento, de apropriação e ressignificação. Okupapala é um projecto cultural e de desenvolvimento,
numa perspectiva dialética: o ser humano, enquanto sujeito criativo é capaz de transformar a sua própria história e a da humanidade, uma vez que por seu intermédio muda o contexto social em que se insere, ao mesmo tempo modifica-se a si mesmo.

As culturas e artes urbanas são espaços de confluência e de diversidade artística, de acção, de expressão criativa que podem evoluir de forma segregada ou antes, e preferencialmente, dialogante, mais interessante no desenvolvimento de respostas aos desafios e contextos existentes.
As trocas interculturais são hoje um produto do aumento exponencial das comunicações e deslocações possíveis ao ser humano, mas nem sempre essa possibilidade é transformada em processo de conhecimento e de criação conjunta, de desenvolvimento, de inclusão e valorização. Neste encontro pretende-se um processo orientado para o intercâmbio, valorização de aprendizagens, exploração de recursos, procura de processos de desenvolvimento e sustentabilidade de comunidades, de apropriação e valorização dos espaços físicos e simbólicos, de valorização de diversidade e de especificidades locais, combatendo a massificação homogeneizada da cultura.
OBJECTIVOS
Promover a cultura e a arte como processos criativos de estimulação, interacção e
desenvolvimento das e com as comunidades locais;
Promover a apropriação e (re)interpretação do espaço público, como espaço colectivo,
criativo, de proximidade e relação;
Procurar integrar a história e o passado com o presente, a acção e o sonho, integrando o
sujeito nesse processo nunca acabado de construção do meio e de si próprio.
Estimular trocas de saberes, valorizando a diversidade mas também os recursos e
práticas locais.
Promover as expressões artísticas, quer seja o consumo e usufruto livre ou a sua criação
enquanto processo que pensa e questiona, que interpreta, que aprofunda e alarga
horizontes de possibilidades;
Promover a construção de identidades com autoestima, ricas em experiências e
diversidade de contatos de forma a aumentar a confiança, os interesses e as escolhas,
quer seja de comunidades, quer seja do indivíduo;
Encontrar dentro da complexidade e dos desafios que as cidades nos colocam
actualmente, caminhos de sustentabilidade e participação a vários níveis;
Criar uma oportunidade para a cidade do Lobito/ Benguela se afirmar na área artística
e cultural como polo de desenvolvimento, tão importante no contexto actual de
reconstrução do país, criando-se um novo polo de acção e de atractividade, criando
novas dinâmicas de desenvolvimento para a região.
PÚBLICO ALVO
Toda a população

DURAÇÃO:
5 dias

PARCERIAS:
Governo Provincial da Provincia de Benguela, Potof.Prod, Plataforma -
Socio-Cultural Mu seke, Grupo de Teatro Entrou Por uma Porta, Christian Aid,MiniBus Multimedia, TintaPreta Design & Publicidade, Associação ArtinPark e Associação MisturaPura.
LOCAIS DO EVENTO:
Liro, Zona Comercial, Compão, Canata, Bela Vista, Bairro da Luz, Restinga, Caponte, São João, Academico, Cabaia, Santa Cruz, Bairro do 28 e Catumbela

ADMINISTRAÇÃO DO PROJETO

Associação Omunga
SUPERVISÃO E COORDENAÇÃO GERAL DO PROJETO
A implantação, supervisão, execução e administração deste projeto e dos cursos de capacitação, bem como a supervisão da metodologia das oficinas e dos seminários, contarão com uma comissão organizadora dos Grupos: MU SEKE (Angola/Portugal), Entrou por Uma Porta (Brasil),
FM Produções (Angola) e a Tinta Preta Design (Portugal). Tal medida tem o objectivo de facilitar a realização dos mesmos e sua acessibilidade pela clientela capacitada.
A comissão estará responsável pelo preparo dos relatórios das oficinas, prestações de contas orçamentárias, e entrega de certificados com comprovação de participação nas oficinas e encontros/seminários realizados.
Concepção, Coordenação 
Meirinho Mendes
Curador/Direção Artistica
Meirinho Mendes




Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário