A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Terreiro do Povo – por Lulendo


Terreiro do Povo – por Lulendo – Jornal Popular Luanda – 28/12/2012
UNITA SAÚDA DIA DO EDUCADOR E DÁ CORRIDA NOS REVUS
Mais uma vez a UNITA se dividiu em duas, sem rumo.
Alcides Sakala foi na RNA dialogar com Loló Kiambata, uma grande maka, a UNITA parecia mais uma Desunita.
Antes teve aquela canvanza com os revus da Central Angola 7311, a UNITA queria apanhar os 7311 mas eles não aceitaram.
Então UNITA proibiu, não vão mais na nossa rádio Despertar, vão na RNA, bateu com a porta nos miúdos.
Mas os Luatys Luambas Casimiros também não se vêem, se dividiram.
Central Angola virou Central Angola 7311-007, se espiando uns aos outros. Luamba você come na mesa do regime, Luaty você matabicha com eles…
Ana Margoso fala com os 7311-007, mas lhe ameaçam, maninha não fala com essa gente. E a jornalista, sensata, se remedeia: não falo com Novo Jornal, nem com Tonet, nem com Marques, nem com 7311-007, falo com quem então, com o MPLA?
Por falar em falar, William Tonet já não falava há muito tempo com kota Justino Pinto de Andrade agora fala menos, toda a folha8 falando mal do kota Justino porque o kota Jutino se esqueceu de falar do miúdo Tonet no Angolense sobre aquele caso da falsa advocacia.
Chega então o dia do educador.
Saúda não saúda. Grande confusão. Mais canvanza.
O Dia do Educador foi lançado pelo Presidente Agostinho Neto no dia 22 de Novembro de 1977, quando começou a alfabetização na nossa República.
Pensei: a oposição vai ignorar ou então vai dizer que em Angola não tem educação, nem educador nem educandos.
Makutu! Me enganei.
Muitas horas depois de zwelices e mais zwelices, educador para aqui educador para ali, essa data é do M, não é nossa, se vamos falar vão dizer que não somos oposição não somos nada.
Kamalata sem gostar nada, fingindo dormir, se deseducando.
A quê (a CASA – assunto kijila na UNITA – nota do autor) já falou? Não? Antecipamos, não é verdade?
E radicais: vão nos entender mal, parece somos do M.
E moderados: se não saudarmos vão dizer que não gostamos dos educadores e os educadores não vão votar em nós nas autárquicas.
E mais moderados ainda: tem mais, educador vai dizer nos alunos a UNITA não saudou, os jovens não vão gostar…
Mas foi o Agostinho Neto que lançou a data… teorizou um radical kamalatiense.
E logo agora que Alcides Sakala foi na RNA, e até falou bem, gostaram, parece aquela coisa, a UNITA integrante que falava mais velho Savimbi, estão se integrando…
Surpresa, saiu comunicado, vou escrever com aspas para jornalistas e políticos não ficarem dizendo que manipulei: «apesar dos esforços que o Executivo tem desenvolvido no domínio do alargamento das infraestruturas ligadas ao sector da educação no país, a componente humana deve ser a pedra fundamental e o foco das atenções de todo e qualquer investimento, para que a gestão das infraestruturas e os níveis de ensino do homem Angolano estejam à altura dos desafios da globalização e permitam atingir as metas do milénio», não é verdade?
Parece comunicado do Executivo, minha Nossa Senhora da Muxima!
Todos os conspiradores, sem excepção, caíram em cima da UNITA: Sakala está com o regime ele vai entregar tudo no Kopelipa, se já não entregou. Educador é de quem, afinal? Estão a saudar educador do M?
Agora vou verdadeirar, o comunicado da UNITA parece mesmo comunicado do Executivo porque o Executivo nunca dá vivas à toa, informa do que faz, das dificuldades, dos problemas, exortando toda a sociedade angolana a fazer parte da solução, a não fazer só lixo mas a varrer também, o Executivo tem plano a curto a médio e a longo prazo mas os problemas são muitos em todo o lado, de Cabinda ao Cunene em todas as comunas, bairros, ruas e transversais do país.
O esforço do Executivo, como reconhece a UNITA, é grande, tem alfabetização em todo o lado, ensino primário, secundário técnico, tem universidade pública e privada em toda a Angola, sim, problema é professores porque ainda não houve tempo de formar, há falta e carência, a guerra acabou faz só dez anos, muitos países que nunca tiveram guerra têm falta de professores, não é verdade?
Nem parece que a UNITA tem aquele governo-sombra, deita abaixo sem apanhar sol.
Este comunicado é comunicado de viva o Executivo, educação precisa de componente humana sim, estamos aqui Pinda Simão.
Eu vim falar para a UNITA não ter vergonha nem complexo, se inclua, se integre no esforço da nação, não critique só.



Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário