A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

domingo, 9 de setembro de 2012

Angola perde em Harare


Invenções de Ferrin complicam contas dos “palancas” no CAN2013
ARTIGO

Angola terá de vencer por 2-0 em outubro em Luanda ou então por mais de três golos de diferença para conseguir o 5º CAN consecutivo.

Angola complicou as contas do apuramento à fase final do CAN´2013. Os "palancas negras" perderam em Harare por 1-3 diante do Zimbabwe, jogo da 1ª mão da última eliminatória de acesso Campeonato Africano das Nações, que se realizará na África d Sul em 2013.
O jogo não podia ter começado pior para Angola, que sofreu um golo aos quatro minutos e esteve a perder por 0-3 antes da meia hora. O golo de Djalma na segunda parte atenuou o descalabro angolano, que agora terá de vencer por 2-0 em Luanda em outubro para tirar os "guerreiros" do caminho.
Gustavo Ferrin, selecionador angolano, "inventou" e muito nos “palancas” o que deu asas ao Zimbabwe para sonhar com o apuramento. O uruguaio que orienta a formação angolana entrou em campo num 5-3-2, com três centrais, dois laterais, e Mateus Galiano e Nando Rafael na frente. Surpresas das surpresas, Djalma Campos e Manucho Gonçalves ficaram no banco.
Angola entrou praticamente a perder. Aos quatro minutos, Bastos desviou para a própria baliza um livre do Zimbabwe. Uma entrada em falso dos "palancas negras", que estavam perdidos em campo.
Com um meio-campo superpovoado mas que não ganhava bolas, com uma frente de ataque entregue a Nando Rafael e Mateus, Angola não conseguia criar perigo junto da baliza dos "guerreiros".
As coisas começaram a ganhar contornos de escândalo com o segundo golo do Zimbabwe, marcado por Khama Billiat após bom trabalho na direita, a tirar Massungunda do caminho e a rematar sem ângulo mas por debaixo das pernas de Lamá que poderia ter feito mais.
E ficou pior com o terceiro golo, apontado por Archford Gutu, num cabeceamento, antecipando-se a Nando Rafael, ele que esteve perdido entre os centrais. Antes o Zimbabwe tinha feito outro golo, anulado pelo árbitro por suposto fora de jogo.
Poupanças do banco não chegaram para a vitória
Angola poderia ter reduzido ainda na 1ª parte mas os ferros negaram dois golos aos “palancas”.
No início do segundo tempo, Ferrin foi obrigado a desfazer o sistema montado, fazendo entrar Djalma e Manuel para os lugares de Amaro e Lunguinha. Angola passou a jogar em 4-3-3, com o portista Djalma Campos a trazer um novo fôlego ao ataque palanca.
E estas mexidas deram frutos aos 58 minutos. Djalma (porquê ficou no banco?), em trabalho individual, tirou dois adversários da frente e rematou para o fundo da baliza. Antes porém, foi Danny Massunguna a evitar o quarto golo do Zimbabwe, num corte providencial na área angolana.
Com a entrada de Manucho Gonçalves para o lugar do desinspirado Nando Rafael, Angola acercou-se da área zimbabweana mas sem conseguir marcar. O único lance de relevo, de maior perigo, foi protagonizado por Djalma, num remate de primeira para fora, já dentro da grande área.

Até o final, Angola não conseguiu reduzir para 2-3. O Zimbabwe jogou toda a segunda parte em contra-ataque mas sem nunca criar verdadeiras ocasiões de golo. Em outubro em Luanda, Angola terá de vencer por 2-0 para estar no CAN´2013.
 ·  ·  · 



Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário