A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

sábado, 24 de março de 2012

Olhar de uma mulher (2)

Estrada para Catoca
Kimbos na estrada
Kimbo
Mulher à sombra de uma mangueira
Hotel Princezinha em Saurimo
Hibisco

"E após quatro dias, disse um até já a Luanda e aterrei em Catoca, a vila junto à 4ª maior mina de diamantes do mundo. Cheguei e disse: isto sim é a África do National Geographic! Planícies infinitas, onde o verde, a cor de barro e o azul predominam! E predomina também a bicharada. Ainda não tive o desprazer de as “conhecer” a todas, mas temo que há-de chegar o momento.

Alojada e a trabalhar na vila de Catoca, viajo todos os fins de dia até Saurimo. A viagem é prazerosa em termos de paisagem: florestas verdes e densas acolhem pequenos kimbos. Os residentes reúnem-se, sentam-se à beira da estrada, vendem fruta, brincam. Os cabritos e porcos atravessam-se à frente dos carros. As casas, que ainda só vi por fora, não inspiram qualquer tipo de qualidade habitacional. Vivem do que cultivam, do que a terra lhes oferece. Mas parecem-me felizes! Às vezes, e quando temos que abrandar por causa dos buracos colossais da estrada, grupos de miúdos acenam e riem e gritam. Eu retribuo. Quase a chegar a Saurimo, vêem-se grupos de pessoas concentradas à beira de riachos: as mulheres lavam a roupa, as crianças chapinham na água e os homens limpam as motas. O amor que estes homens têm às motas! Saurimo é uma cidade de motas. E de mulheres grávidas.

A primeira vez que vi Saurimo trouxe-me sensações pouco agradáveis. É o problema da internet: pesquisei imenso sobre a cidade antes de vir e as poucas imagens disponíveis no Google fizeram-me crer numa cidade completamente diferente da que vi. Passeios não pavimentados, algum lixo, milhares de motas a virem de todos os lados, prédios e vivendas muito degradados, farmácias que parecem tascas. Mas entretanto, e acho que o facto de vir cá todos os dias ajudou, mudei de opinião. Se é que isto é uma opinião! Talvez ande a aprender a gostar disto.

Para desopilar dos dias de trabalho e da vila de Catoca, onde o tédio é uma constante, tenho feito do Hotel Princesinha a minha sala de estar! Aconselho a quem vier fazer turismo para estes lados. Muito agradável. Um oásis no meio de Saurimo!"

in " uma primeira aventura pela engenharia civil em Angola, pelo olhar de uma mulher"

Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário