A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

terça-feira, 13 de março de 2012

MPLA prepara-se para concorrer e vencer as próximas eleições

MPLA prepara-se para concorrer e vencer as próximas eleições.

O MPLA está a preparar-se convenientemente para concorrer e vencer as próximas eleições, terceiras que o país vai realizar, este ano, afirmou o vice-presidente do partido, Roberto de Almeida, quando apresentava a agenda política da organização para 2012.
O plano geral de actividades, inscrito na sua agenda política, apresentado em 24 de Fevereiro último, em Ndalatando, Kwanza Norte, contêm as tarefas fundamentais que o partido e as suas organizações sociais (OMA e JMPLA) deverão realizar, destacando-se as acções ligadas à preparação das eleições.
O documento sublinha que o Comité Central do MPLA aprovou, na sua IV sessão ordinária realizada no início de Fevereiro último, o programa de Governo para o período 2012-2017, o qual será submetido, oportunamente, ao conhecimento da sociedade.
Para a materialização da empreitada, a OMA foi instada a continuar a desempenhar o seu papel de sensibilização e mobilização da camada feminina e da sociedade em geral, visando uma participação activa no processo de registo e actualização dos dados eleitorais.
No texto, o MPLA reconhece que nas eleições realizadas em 1992 e em 2008, a OMA contribuiu decisivamente para a vitória do partido e desta vez, a direcção organiza-se e está convicta de que este feito digno de realce se repetirá no próximo pleito, a avaliar pelo trabalho abnegado em curso.A OMA e a JMPLA deverão continuar a auxiliar as acções do partido junto dos seus militantes, simpatizantes, amigos e no seio da sociedade para o voto certo no MPLA, como a melhor opção para a condução dos destinos do povo angolano”, realça a agenda política.
O partido governante considera que as suas organizações sociais constituem, a par dos comités de acção do MPLA, veículos principais para a transmissão da estratégia da organização junto das mulheres, da juventude e do conjunto da sociedade.
Defende que os cidadãos devem participar activamente em todos os actos eleitorais que ocorrem no país, evitando a abstenção ou voto em branco, pelo que afigura-se imperioso a criação de mecanismos susceptíveis de facilitar e estimular a ida dos eleitores às urnas.
Para o MPLA, o voto de cada angolano é importante, pois constitui um direito inalienável que deve ser exercido de forma livre e secreta, sem quaisquer constrangimentos nos termos estabelecidos na Constituição da República e na lei, para a composição dos órgãos de soberania.
O Parlamento aprovou recentemente o pacote de leis que vão regular e conferir eficácia ao processo eleitoral, designadamente a Lei Orgânica sobre as Eleições, o Código de Conduta Eleitoral, a Lei de Observação Eleitoral e a Lei de Financiamento aos partidos políticos.
Com a aprovação dessas leis, estão assim criadas as condições para a realização de eleições livres, justas e transparentes”, sublinhou Roberto de Almeida quando discursava em Luanda, no acto político alusivo ao 2 de Março, consagrado à mulher angolana.



Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário