A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

CIDADE DO NAMIBE: 162 ANOS

Escritura de Promessa e Voto que fazem Bernardino Freire de Figueiredo Abreu e Castro; e José Joaquim da Costa, em 4 de Agosto de mil e oitocentos e cinquenta e nove.
Saibam quantos este público instrumento de
escritura virem, que sendo no ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de
mil oitocentos e cincoenta e nove anos, aos quatro dias do mês de Agosto de dito
ano, em esta Vila de Moçâmedes, e meu cartório, apareceram em suas próprias
pessoas Bernardino Freire de Figueiredo Abreu e Castro e José Joaquim da Costa,
reconhecidos por mim como os próprios que dou fé; e disseram que concluindo-se
hoje quatro de Agosto, dez anos, depois que chegaram a este porto de Moçâmedes
os primeiros colonos, vindo em seguida outros unir-se a seus irmãos de Pátria, e
leais sentimentos, todos dispostos a promoverem nesta Província da nossa África
Ocidental em geral, e em especial no limite de Moçâmedes, a agricultura, as
artes e a indústria lícita; e como a Divina Providência concedeu a vida, as
forças, a coragem e a perseverança a muitos, que puderam conseguir e cumprirem
os desígnios com que das terras do Brasil se transportaram às d'África;
reconhecendo todos a visível e manifesta Protecção Divina, sem a qual jamais
poderiam ter arrostado com tantos contratempos, trabalhos, privações, e até com
certa oposição, que se não foi directa, o foi indirecta; publicando-se que
Moçâmedes era sòmente um areal e para nada prestava, tentando desta arte esfriar
a acção do Governo e a protecção do mesmo, da qual tanto carecem as Colónias
nascentes; o que todavia jamais poderão conseguir; reconhecendo todos os
colonos, tornaram a dizer os referidos Figueiredo e Costa, a bem da manifesta
Protecção da Divina Omnipotência, resolveram de comum acordo dar um testemunho
público deste seu reconhecimento, testemunho que isto atestasse às gerações
vindouras, fazendo como faziam a mais solene promessa e voto de em todos os anos
e no dia quatro de Agosto, se celebrar na Igreja Matriz desta Vila uma missa
rezada actualmente e cantada com Te Deum Laudamus, logo que as proporções de
Moçâmedes o permitam; e isto em acção de Graças ao Omnipotente por ter
conservado a vida, as forças, a coragem e a perseverança àqueles que hoje
reunidos no Templo dão de sua gratidão um testemunho público. Disseram mais os
referidos que por si, e por todos os Colonos, impunham a eles próprios e àqueles
que depois deles possuissem por qualquer título as suas fazendas, e engenhos
Purificação da Luta nos Cavaleiros; e Patriota na Boa Vista, frutos de tantos
trabalhos, diligências, despesas e cuidados, a obrigação de satisfazerem ao
Reverendo Pároco da freguesia Matriz em todos os anos no dito dia quatro de
Agosto, a quantia de oito mil reis, moeda corrente na Província enquanto a Missa
fosse rezada; e quarenta mil reis logo que fosse cantada, e com Te Deum, para
que o dito Reverendo Pároco celebrasse a Missa rezada no referido dia mediante a
esmola de oito mil reis; ou cantada e com Te Deum mediante a de quarenta. E para
constar em todo o tempo e ninguém poder alegar ignorância de que as ditas
fazendas e engenhos são sobrecarregados com o onus de seus possuidores pagarem
anualmente cada um metade das acima mencionadas quantias, e no referido dia
quatro de Agosto ao Reverendo Pároco, faziam eles Bernardino Freire de
Figueiredo Abreu e Castro e José Joaquim da Costa esta escritura pública,
declarando ser esta a sua livre e espontânea vontade. Depois de escrita esta eu
Tabelião a li perante eles outorgantes; e testemunhas presenciais, João Duarte
de Almeida, negociante e proprietário, e João Cabral Pereira Lapa e Faro,
facultativo deste partido, ambos moradores nesta sobredita Vila e são os
próprios que assinam com eles outorgantes e comigo João Caetano Alves, Tabelião
a escrevi e assinei em público e razo e de meu uso que tal é
Em Testemunho de Verdade
O Tabelião
João Caetano
Alves
Bernardino Freire de Figueiredo Abreu e Castro

José Joaquim da
Costa
João Duarte d'Almeida


RETIRADO DE 
http://www.facebook.com/groups/namibeangola/doc/?id=238809856152222


Pensar e Falar Angola
Enviar um comentário