A Efeméride Nacional

11 DE NOVEMBRO DE 1975

sábado, 22 de dezembro de 2012

AVISO À NAVEGAÇÃO - PORTUGAL / ANGOLA

ANo decurso da ida de Ministros de Espanha a Angola para assinar diversos acordos de cooperação, o Ministro dos Negócios Estrangeiros Espanhol disse que está para breve o estabelecimento de um acordo de abolição de vistos entre ambos os países.

Como todos sabem, Portugal exige um infindável número de documentos aos angolanos para aqui entrar, que tem a reciprocidade de Angola que inferniza quem queira o visto, inclusive ter de ir ao consulado tratar diretamente.
A Suiça, muito zelosa do dinheiro dos outros e suficientemente moralista, confiscou em 2008 cerca de 43 milhões de euros de fundos angolanos por desconfiar que seria lavagem de dinheiro.

Acaba de assinar a devolução do dinheiro a Angola porque reconheceu que há um governo eleito e afinal é um país importante para a sua economia. O resto é anedota.

Portugal, através do nosso MP, resolveu investigar altos dirigentes angolanos por terem muito dinheiro em Portugal, mas não contente, o MP resolveu estender a sua competência e pretende fazer investigação sobre a construção da cidade do Kilamba Kiaxi, um aglomerado de prédios para mais de 100 mil habitantes, uma nova centralidade de Luanda, executada por empresas chinesas, cuja qualidade é reconhecida má.

Mas não é por os chineses enganarem os angolanos porque os prédios apresentam patologias inconcebíveis, rachadelas de pasmar qualquer um (até porque é uma intromissão inaceitável).

O argumento do nosso MP é que Manuel Vicente, atual vice-Presidente de Angola, possa ter beneficiado do negócio.

Eu nem quis acreditar nesta incursão colonialista no coração de um país independente mas é a verdade .
Justamente o nosso Ministério Público  que ainda não resolveu nenhum dos casos e que os deixa a criar mofo nas catacumbas das suas instalações.,  lança suspeitas sobre pessoas influentes e o processo vai queimando em lume brando até caducar o prazo.

Imaginem agora o Ministério  Público angolano,   ante a incompetência da justiça portuguesa, resolver investigar as PPP em Portugal, porque há indícios de que vários figurões se beneficiaram das negociatas?
Estes casos revelam a “inteligência” e o senso (eu nem quero bom senso) com que as nossas autoridades tratam os assuntos de Estado.

Palavras para quê?

Mário Russo (Cidadão Português vivendo em Portugal )
Enviar um comentário